Afastamento Social e Lazer: Avaliação de Indivíduos com Transtornos Mentais

Por: Kátia Borges e Maria Adília Silva.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução: o afastamento social é considerado um dos fenômenos mentais
que revela a formação das síndromes negativas, uma das características dos
transtornos mentais severos. Intervir neste fenômeno é essencial para as equipes
profissionais que atuam na perspectiva da reabilitação psicossocial. Objetivo:
verificar a associação entre afastamento social e reconhecimento de habilidades
nas atividades de lazer em indivíduos com transtornos mentais severos. Amostra:
256 indivíduos adultos de ambos os sexos, com diagnósticos de psicose ou
neurose grave, inscritos no programa "Centro de Convivência" da Coordenação
de Saúde Mental de Belo Horizonte. Material e Método: os instrumentos
utilizados foram: Escala de Qualidade de Vida para Pacientes com Esquizofrenia,
Escala de Percepção de Liberdade no Lazer e o Questionário de Dados Sócio
demográfico e de Lazer. As análises estatísticas foram realizadas nos softwares
Statistical Package for the Social Science (SPSS) versão 11.5 e StatXact versão
5. Resultados: o grupo com Esquizofrenia, os Esquizotípicos e os Delirantes
(EED) bem como o grupo com Transtornos Neuróticos, Transtornos
relacionados ao Estresse, Transtornos Somatoformes, Transtornos da
Personalidade e Comportamento do Adulto (OUTROS) quando associados
ao afastamento social deliberado, apresentaram os seguintes resultados: 80,6%
- EED e 79,3% - OUTROS avaliam que deliberadamente se afastam mais
socialmente e 19,4% - EED e 20,7% - OUTROS avaliam que esse afastamento
social deliberado é menos comum na vida deles. Para os dois grupos de
indivíduos - EED e OUTROS - que deliberadamente se afastam socialmente
não há diferença na percepção de reconhecimento de habilidades no domínio
do lazer para melhor ou para pior. Porém, no grupo de EED e OUTROS que
melhor compartilham as relações sociais, o grupo de indivíduos que se percebe
mais habilidoso no lazer é maior que o grupo que se percebe menos habilidoso.
Conclusão: a verificação da associação entre reconhecimento de habilidades
no domínio do l a ze r e me lhor compa rt i lhamento soc i a l , no grupo
deliberadamente incluído socialmente, indica o potencial positivo dos projetos
de Atividade Física no processo de intervenção que têm por base a Reabilitação
Psicossocial.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/61_Anais_p221.pdf

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.