Agregação Familiar nos Hábitos de Prática Desportiva. Um Estudo em Crianças e Jovens dos 10 Aos 19 Anos de Idade

Por: André Filipe Teixeira e Seabra, Denisa Maria de Melo Vasques de Mendonça, José Antônio Ribeiro Maia e Rui Manuel Garganta.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.12 - n.3 - 2004

Send to Kindle


Resumo

O objectivo do presente trabalho foi estudar a agregação familiar (influência do pai e da mãe) nos hábitos de prática desportiva dos filhos. A amostra foi constituída por 5850 crianças e jovens de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 10 e os 19 anos, pertencentes a escolas do 2º e 3º ciclo do ensino básico e do ensino secundário. A avaliação da prática desportiva foi realizada com o questionário de Baecke et al. (4). Os procedimentos estatísticos utilizados foram o teste qui-quadrado e a regressão logística. Os cálculos foram efectuados no software estatístico SPSS 10. Os principais resultados e conclusões foram os seguintes: (1) em todos os níveis de ensino verificou-se uma associação positiva e significativa entre a prática desportiva dos progenitores e dos seus filhos; (2) a única excepção foi encontrada no ensino secundário entre a prática desportiva da mãe e a dos filhos (masculino); (3) a prática desportiva da mãe é, em todos os níveis de ensino, o determinante que melhor explica a propensão de uma criança e de um jovem para praticar desporto; (4) os descendentes do sexo masculino revelam uma maior propensão para a prática desportiva quando comparados com os do feminino, à excepção do ensino secundário em que a prática dos descendentes é semelhantes em ambos os sexos quando a mãe é desportista. PALAVRAS-CHAVE: agregação familiar, prática desportiva, determinantes.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.