Ajuste Alométrico na Comparação do Desempenho de Praticantes de Exercícios Resistidos

Por: Wladymir Külkamp.

2010

Send to Kindle


Resumo

Em geral, acredita-se que o tamanho corporal representa um fator que afeta o desempenho em testes físicos e também em atividades do cotidiano, de maneira, pessoas mais altas e mais pesadas geralmente são mais fortes que as mais baixas e mais leves. A relação entre massa corporal (MC) e força muscular parece obedecer à lei de escala ou potência (Y=Y0*MCb), onde a modelagem alométrica pode servir como ferramenta prática e útil para uma adequada comparação de indivíduos de diferentes massas corporais. O objetivo do presente trabalho foi verificar a adequação do ajuste alométrico na comparação do desempenho de praticantes de exercícios resistidos (ER). A mostra foi composta por 11 homens e 11 mulheres, praticantes de ER, não atletas, com média de idade de 22 anos. A verificação da adequação dos ajustes alométricos nos exercício supino reto, leg press e rosca direta foi realizada a partir de critérios de diagnóstico de regressões, com base na análise de resíduos (dispersão e homoscedasticidade) e na habilidade do modelo em isolar o efeito da MC. Os ajustes alométricos realizados no presente estudo geraram expoentes que foram menores para homens do que para mulheres e, em geral, maiores do que aqueles encontrados na literatura. Foi observado que os expoentes específicos, o teórico (0,67) e taxa padrão (força/MC1) proporcionaram ranqueamentos não correspondentes, discriminando de maneira diferente os indivíduos em relação à força de 1RM. Além disso, os homens se apresentaram mais fortes que as mulheres em todos os exercícios resistidos, mesmo quando a força era corrigida alometricamente, porém nesse caso em menor magnitude. Além disso, todos os ajustes atenderam satisfatoriamente aos critérios pré-estabelecidos, sendo que os problemas de distribuição residual apontados em modelagem alométrica do desempenho de atletas de levantamento de peso não foram observados no presente estudo. Isso indica que a alometria pode ser uma ferramenta adequada para isolar o efeito da MC no ajuste da força muscular de não atletas, ao menos para a amostra em questão, principalmente quando comparada com o ajuste fornecido pela taxa padrão.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.