Alterações da Função Tireóidea Pelo Uso de Esteróides Anabolizantes e Após Exercício Físico em Ratos

Por: Rodrigo Soares Fortunato.

94 páginas. 2008 01/02/2008

Send to Kindle


Resumo


  422

  O presente trabalho pretendeu verificar as alterações decorrentes do uso crônico de esteróides anabolizantes e de uma sessão aguda de exercício físico sobre a função tireóidea de ratos. Para isso; ratos Wistar machos foram tratados durante 8 semanas com veículo ou DECA (10 mg/ Kg p.c.); via intramuscular; uma vez por semana ou submetidos a uma sessão de exercício físico por 20 minutos a 75% de seu consumo máximo de oxigênio. Em relação ao tratamento com DECA; o grupo tratado apresentou aumento significativo do peso dos rins + adrenal e coração; e diminuição do peso dos testículos. Demonstraram também diminuição do percentual de gordura com concomitante aumento da quantidade de proteínas e água corporal. Em relação à tireóide; a administração de DECA causou aumento significativo do peso absoluto e relativo da glândula. As concentrações séricas de T3 total; T4 livre e TSH diminuíram com o tratamento. Nenhuma modificação foi encontrada na atividade da tireoperoxidase; porém; no grupo tratado a atividade da enzima desiodase tipo I (D1) hepática e renal estavam aumentadas; sem alteração na atividade enzimática hipofisária ou tireoideana. Os animais submetidos a uma sessão de exercício demonstraram uma aumento significativo do T3 total sérico logo após o término do exercício; apresentando em seguida uma diminuição progressiva com valores significativamente menores que o controle 120 minutos após o exercício; e aumento progressivo do T4 total sérico com valores significativamente maiores que o controle 120 minutos após o término do exercício; sem variação nos níveis séricos de TSH. Os níveis de corticosterona aumentaram 30 minutos após o término do exercício; voltando depois aos valores normais. A atividade da tireoperoxidase e a captação de radioiodo não alteraram com o exercício. A atividade da enzima desiodase tipo 1 (D1) hepática diminuiu progressivamente; atingindo valores menores que o do controle aos 60 e 120 minutos após o exercício; enquanto na hipófise essa enzima aumentou 30 minutos após o exercício e continuou a aumentar aos 60minutos; se mantendo alta aos 120 minutos; na tireóide não foi observada alteração. A atividade da desiodase tipo 2 (D2) no tecido adiposo marrom (TAM) foi inibida 30 minutos após o exercício; porém 120 minutos após o exercício apresentou valores normais. Com isso; nossos dados sugerem que o DECA possui provavelmente efeitos tanto diretamente sobre a função da glândula; quanto no metabolismo periférico dos hormônios tireóideos; enquanto o exercício agudo modificou a metabolização extratireóidea dos hormônios tireóideos provavelmente devido a uma inibição da D1 hepática e D2 no TAM pela corticosterona.
     

Endereço: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=94735

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.