Alterações Musculares Promovidas Pela Suplementação de HMB e Treinamento Concorrente em Ratos Wistar

Por: D. B. Baptista, G. R. Teixeira, L. G. M. Chagas, N. J. Santos e V. A. Menezes.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

O HMB é um metabolito do aminoácido leucina, que é considerado um agente potencializador, aumenta a força, o tamanho e previne a quebra no tecido muscular quando combinada com o treino de resistência. O objetivo deste trabalho foi investigar os efeitos antropométricos e morfológicos da suplementação de HMB, em associação com o treinamento concorrente no músculo sóleo de ratos. Foram utilizados 22 Ratos Wistar, 60 dias, divididos aleatoriamente em quatro grupos: Controle (C); Suplementados (S); Treinados (T) e Treinados Suplementados (TS). Os animais dos grupos Treinados foram submetidos a adaptação ao meio aquático durante 30 minutos por 21 dias, 3 vezes por semana. O treinamento concorrente (TC) iniciou-se aos 81 dias, sendo primeiro o treinamento aeróbio, durante 38 minutos, 3x/ semana, durante 8 semanas em meio aquático utilizando uma carga de 70% do Limiar Mínimo. Para os exercícios de capacidade anaeróbia, foram realizadas 4 séries de 10 saltos com uma carga equivalente a 50% do peso corporal. Os grupos suplementados receberam 76 mg/kg/dia de HMB concomitantes com o treinamento concorrente. Após o período de TC, os animais foram sacrificados e os músculos sóleos e a gordura visceral foram retirados. Para identificar os tipos de fibra muscular a técnica de NADH-TR foi utilizada, e para a análise histológica, o H/E. Para análises estatísticas foi utilizado One Way anova e teste t, p<0,05. O peso corporal apresentou diferenças significativas. Os grupos S e T foram os que obtiveram maior e menor ganho de peso corporal, respectivamente. O peso do músculo sóleo foi maior nos grupos T e S quando comparado com os outros grupos (p=0,016). O grupo TS houve aumento da área de fibras quando comparado com o grupo C. Assim como o crescimento dos núcleos em S, T e TS foram maiores do que em C. Os animais do grupo C apresentaram fibras com aspecto normal. A suplementação no grupo C ocasionou uma dilatação proporcionando um aspecto mais arredondado do que o poligonal característico das fibras musculares. Verificou-se nos grupos T, TS e CS a ocorrência eventual de micro lesões com discreto infiltradas leucocitário. Ainda foi possível observar nos animais T a redução do tecido conjuntivo adjacente às fibras, endomísio e perimísio, demonstrando aumento de miofibrilas contráteis dentro da fibra muscular. Por meio da reação enzimática NADH-TR podemos observar que nos grupos T, S e TS houve um aumento nas fibras tipo lla e llb quando comparado as fibras tipa l do grupo C. Nos grupos T e S houve aumento na quantidade de fibras tipo lla e llb (72% e 75% respectivamente) em relação as fibras do tipo l (28% e 25% respectivamente). O treinamento concorrente, juntamente com a suplementação de HMB apresentaram efeitos positivos sobre a composição corporal dos ratos e as fibras musculares analisados. O HMB promoveu aumento do diâmetro das fibras musculares em secção transversal, o que contribuiu para mudança no metabolismo oxidativo/fibras glicolíticas.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.