Alterações nas Valências Físicas de Bailarinas de Dança Clássica

Por: Andréa Martins de Pina, Henrique Lima Ribeiro, Iransé Oliveira Silva, Lívia Christian Nascimento, Lourenzo Marins de Brito e Paula Gomes Lopes.

37º Simpósio Internacional de Ciências do Esporte - SIMPOCE

Send to Kindle


Resumo

Introdução: A busca de se tornar um bailarino profissional requer manter o alto nível de técnica e ascensão nos conhecimentos físicos do corpo. É necessário um processo de preparação física durante os anos, desenvolvendo a capacidade de auto rendimento dentre as valências físicas adquiridas trabalhadas(LEAL, 1998). Objetivo: Objetivo do presente estudo foi de verificar o nível de aptidão física de praticantes de Ballet Clássico e tendo como objetivo específico comparar os níveis de aptidão física em bailarinas iniciantes e avançadas. Método: O estudo foi composto por 22 bailarinas separadas em 2 grupos para análise comparativa. O primeiro foi composto por 11 bailarinas iniciantes (2 anos de experiência com a dança) tendo entre 11 e 16 anos e o segundo por 11 bailarinas intermediárias/avançadas ( mais de 5 anos de experiência com a dança), tendo entre 14 e 18 anos. Para analisar a aptidão física relacionada a saúde foi utilizado o protocolo “Fitnessgram” para a verificação e classificação dos níveis nos teste de força e IMC. Para a classificação de resistência e flexibilidade utilizou-se o “PROESP-BR”. Para o teste de flexibilidade utilizou-se o “banco de Wells” (sentar e alcançar). Foi feita uma análise descritiva na forma de porcentagem e um test “t” para amostras independentes de “Mam Whiney” por meio de software SPSS 19.0 adotando o nível de significância de p≤ 0,005. Resultados: Quando analisado o IMC 59,1% das bailarinas analisadas estão consideradas normais. Quanto ao teste de resistência, 68,2% das voluntárias obtiveram o rendimento esperado. Quanto aos testes de força 50% tiveram classificação normal e os outros 50% classificadas como alto desempenho. De um modo geral, mais de 63,6% das bailarinas obtiveram desempenhos normais relacionados à flexibilidade. Quando comparados entre níveis, nos quesitos força e flexibilidade as bailarinas avançadas demonstraram serem melhores, havendo diferença significativa de p≤ 0,004.

TABELA

Conclusão: Concluiu-se que o nível de aptidão física das bailarinas foram normais. Quando comparadas entre níveis, as bailarinas do nível avançado obtiveram um resultado superior às bailarinas do nível iniciante nos quesitos: força e flexibilidade, porém se mantiveram iguais e/ou inferiores quanto à classificação do IMC e resistência.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.