Alterações Renais e Cardíacas Decorrentes do Treinamento de Força na Hipertensão Experimental: Efeitos Morfológicos e no Estresse Oxidativo

Por: Rodrigo Miguel dos Santos.

69 páginas. 2016 29/02/2016

Send to Kindle


Resumo

A hipertensão arterial é um dos principais fatores de risco associados às morbidades e mortalidade cardiovasculares, causando a morte de milhões de pessoas por ano. Na hipertensão, o estresse oxidativo está aumentado, podendo ser este o motivo ou uma consequência da elevação da pressão arterial. Nos últimos anos o exercício físico tem se mostrado como uma alternativa para a prevenção e o tratamento da hipertensão por reduzir a pressão arterial, assim como tem sido demonstrada a capacidade de o treinamento de força melhorar a defesa antioxidante em normotensos. Desta forma, os objetivos desta dissertação foram: (1) avaliar o efeito de uma sessão de exercício de força de baixa intensidade sobre os indicadores de estresse oxidativo no músculo cardíaco de ratos hipertensos; (2) avaliar os efeitos do treinamento de força sobre a hipertrofia renal e cardíaca induzida pela hipertensão renovascular; (3) avaliar os efeitos do treinamento de força sobre o estresse oxidativo renal em ratos com hipertensão renovascular. Verificamos que o exercício de força é capaz de reduzir os danos oxidativos através do aumento da atividade das enzimas antioxidantes no coração. Estes efeitos são similares no rim quando é realizado o treinamento de força de forma crônica na hipertensão renovascular. Foi possível verificar que o treinamento de força tem efeitos benéficos na hipertensão renovascular e é capaz de reduzir a pressão arterial média e frequência cardíaca, além de reverter a hipertrofia do rim contralateral e do coração.

Endereço: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/3044

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.