Analisando as Escolhas do Time Para Torcer dos Alunos de Um Colégio Público Estadual da Cidade de Ponta Grossa: Um Estudo Exploratório

Por: Miguel Archanjo de Freitas Júnior e Wendell Luiz Linhares.

XV Congresso de História do Esporte, Lazer e Educação Física - CHELEF

Send to Kindle


Resumo

É inegável a elevada significância cultural e representatividade que o “fenômeno” futebol adquiriu no Brasil no decorrer do século XX (RIBEIRO, 2003; DAOLIO, 2006). Por conseguinte, tal esporte passou a estar presente no cotidiano da população brasileira através de um sistema de criação e interpretação de símbolos e práticas associadas, não desarticulado de outros aspectos sociais e culturais (GUEDES, 1982). De acordo com Bauman (2005), a ideia de identidade pode ser entendida como um quebra-cabeças, o qual é formado por diversas peças e ao final, tem por objetivo formar e mostrar uma imagem. Por conseguinte, ao pensar o Brasil, entende-se o futebol como um fenômeno capaz de movimentar um grande contingente de pessoas e, dessa forma, este caracteriza-se como uma peça desse “quebra-cabeça”, que contribui para a construção de uma possível identidade brasileira. Assim, no presente estudo, objetivou-se identificar e analisar as escolhas dos times de futebol dos alunos matriculados no Ensino Médio de um Colégio Público Estadual de Ponta Grossa. Dessa forma, optou-se em aplicar um questionário estruturado composto por 16 questões, para 272 alunos com faixa etária de 15 a 17 anos. As participações foram confirmadas por intermédio da assinatura dos pais e/ou dos responsáveis através do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Assim, a população da pesquisa acabou objetivada em 239 escolares. No presente estudo, optou-se por analisar três questões: 1) Para qual clube de futebol você torce?; 2) Por que você escolheu torcer por este clube de futebol?; 3) Você torce por algum clube de futebol fora do Brasil? As respostas foram analisadas tendo como embasamento a frequência de aparição (AC). Identificou-se que a categoria “família”, emergiu como principal motivo de influencia na escolha do time do “coração”. Não obstante, identificou-se a existencia de indivíduos que podem sercategorizados por um tipo de bifiliação clubística, ou seja, torcem tanto para um time brasileiro quanto para um estrangeiro. Verifica-se, dessa forma, que esses aspectos são oriundos da globalização do futebol

Referências

BAUMAN, Z. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2005.

DAÓLIO, J. A. O drama do futebol brasileiro: uma análise socioantropológica. In: DAÓLIO, J. A. (Org). Cultura: educação física e futebol. 3 ed. Campinas: Editora da UNI]CAMP, 2006, p. 107- 114.

GUEDES, S. L. Subúrbio: celeiro de craque. In: DAMATTA, R. (Org.). Universo do futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1982. cap. 3, p. 59-74.

RIBEIRO, L. C. Brasil: futebol e identidade nacional. EFDepprtes, Buenos Aires, Ano. 8, n. 56, p. 1-1. 2003.

Fonte de financiamento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.