Análise Biomecânica de Movimentos de Lesados Medulares Praticantes de Rúgbi em Cadeira de Rodas

Por: Jerusa Petróvna Resende Lara.

2016 26/02/2016

Send to Kindle


Resumo

Resumo: O presente estudo teve como objetivo analisar biomecanicamente movimentos de lesados medulares praticantes de rúgbi em cadeira de rodas. Para isso foi proposto, avaliado e mostrado a aplicabilidade de um protocolo de análise biomecânico de movimentos de lesados medulares em uma tarefa esportiva. O protocolo proposto levou em consideração a modelagem dos membros superiores, inferiores, cabeça, tronco, pelve, cadeira de rodas e bola. Na avaliação do protocolo foram testados a exatidão do sistema de análise cinemática, a modelagem da cadeira de rodas e da bola, a sequência de rotação de Euler adequada para cálculos de ângulos articulares e a contribuição das rodas auxiliares, da cadeira de rodas específica para a prática da modalidade, na aplicação da força de reação do solo. A aplicabilidade do protocolo mostrou dados cinemáticos e dinâmicos de um movimento específico do rúgbi em cadeira de rodas. Nos estudos mais aplicados usando o protocolo proposto, foi possível analisar os padrões de movimentos, calcular a coordenação interarticular, bilateral e assimetria de lesados medulares jogadores de rúgbi em cadeira de rodas. Foi proposto e avaliado o uso da plataforma de força para análise e caracterização do movimento de lesados medulares. Sete voluntários, atletas de rúgbi em cadeira de rodas, com lesões medulares equivalentes a tetraplegia com níveis entre C5 e C7 foram selecionados para o grupo de lesados medulares e cinco voluntários do sexo masculino para o grupo controle, sem histórico de lesão dos membros superiores. Seis câmeras com frequência de aquisição de 100 Hz foram utilizadas para registrar o movimento dos sujeitos. O sistema de análise cinemática tridimensional Dvideo, foi usado para reconstruir 62 marcadores a fim de modelar 17 segmentos corporais (pés, pernas, coxas, pelve, tronco, cabeça, braços, antebraços, mão e escápula), cadeira de rodas e bola. Foram usadas duas plataformas modelo Kistler (600hz) para coletar dados de força de reação do solo. O modelo biomecânico proposto possibilitou análises das articulações do ombro, cotovelo, punho, pescoço e tronco. Os ângulos articulados foram coerentes com o movimento a ser analisado. O protocolo ainda apontou ser sensível para identificar assimetrias e coordenações bilaterais e interarticulares. A análise do padrão de movimento de lesados medulares e grupo controle mostrou diferenças entre os grupos na fase de lançamento da bola afetando articulações do ombro, cotovelo e punho. Foi possível identificar estratégias compensatórias do grupo de lesados para executar a tarefa de passe de peito. A análise de coordenação e assimetria mostrou que sujeitos com lesão medular são coordenados na realização do movimento do passe de peito porém são assimétricos bilateralmente. A proposição e avaliação do uso da plataforma de força para caracterização do padrão de movimento de lesados medulares mostrou que o método é promissor para fornecer informações importantes para a avaliação objetiva da cinética do movimento do passe de peito de lesados medulares praticantes de uma modalidade esportiva.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000966701&opt=1

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.