Análise do Comportamento da Creatina Quinase Ao Longo da Pré-temporada de Um Time de Futebol Profissional

Por: Daniel Barbosa Coelho, , Marco Aurélio Melo, Ricardo Leão Andrade, Rodney Coelho da Paixão e Rodrigo Figueiredo Morandi.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.16 - n.2 - 2014

Send to Kindle


Resumo

A realização de exercícios físicos pode resultar em danos teciduais sobre o sistema muscular, inclusive durante a pré-temporada, que é um período de preparação física visando competições subsequentes. O objetivo do estudo foi analisar o comportamento da CK plasmática como marcador de dano muscular ao longo da pré-temporada de uma equipe de futebol profissional; determinar em que momento da pré-temporada os níveis de CK atingem o valor pico; e verificar a concentração de CK no dia antecedente ao primeiro jogo oficial da temporada. Participaram deste estudo 31 jogadores de futebol profissional (24.3 ± 3.9 anos, 181.0 ± 7.0 cm de altura, 9.1 ± 1.3 %GC e 66.0 ± 4.5 mlO2/kg/min). A concentração plasmática de CK foi determinada ao início da pré-temporada (M1), 4 (M2), 10 (M3) e 15 (M4) dias após. Identificaram-se valores de CK de 178.2 ± 12.0, 540.0 ± 59.1, 389.8 ± 49.5, 408.7 ± 45.0 U/L para M1, M2, M3 e M4, respectivamente. A concentração pico de CK ocorreu no M2 (p<0,05). A análise do comportamento da CK plasmática revelou níveis aumentados ao longo de toda a pré-temporada de uma equipe de futebol profissional em comparação com o período de férias. O valor pico de CK foi atingido no 4º dia da pré-temporada. A concentração de CK no dia antecedente ao primeiro jogo oficial da temporada mostrou-se na faixa de valores recomendada para jogadores profissionais.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2014v16n2p129

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.