Análise do Comportamento da Freqüência Cardíaca de Futebolistas em Teste de Potência Aeróbia

Por: André Montanholi Fornaziero, Antonio Carlos Dourado, Larissa Bobroff Daros, Luiz Claudio Reeberg Stanganelli, Raul Osiecki e Richard Diego Leite.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

O futebol é a modalidade mais popular do mundo e atualmente é alvo de inúmeras
pesquisas cientificas, que procuram desvendar aspectos fisiológicos dos atletas. Nesse
contexto está a freqüência cardíaca, que segundo TUMILTY (1993), reflete diretamente o stress
provocado pelo esforço aeróbio, o qual segundo GODIK(1996) é de grande importância nos
futebolistas.Sendo assim, o objetivo deste estudo foi analisar o comportamento da freqüência
cardíaca de futebolistas durante um teste de potência aeróbia.Para tanto, 16 atletas do Londrina
Esporte Clube, sendo 9 juvenis e 7 juniores (Idade: 17,09 ±1,07anos; Estatura: 1,745 ±0,06m;
Peso: 63,13 ±6,09kg) realizaram um teste progressivo na esteira rolante com 4’ de aquecimento
a 7km/h e patamares de 1’ de duração com incrementos de 1km/h.Para a coleta dos dados, foi
utilizado o sistema de transmissão de informações da marca Polar, presente no ergoespirômetro
portátil fabricado pela Cosmed, modelo K4b2. Coletou-se os valores da freqüência cardíaca
conforme registro do equipamento, sendo posteriormente filtrados a cada 5s. Na
recuperação, os valores foram obtidos até 5’ após o final dos testes.Para a construção
das curvas de evolução da freqüência cardíaca, foi utilizada a estatística descritiva
para cada medida de tempo, utilizando o programa Statistica for Windows 6.0.
Também foi realizado um ajuste de curva dos dados, através do programa Curve
Expert 1.3. Os atletas atingiram uma média de Tempo de Total Teste de 11,67
±1,41min, o que proporcionou um VO2MÁX de 57,26 ±5,55ml/kg-1/min-1 e
FCMÁX de 197 ±6,83bpm. Verificou-se uma sensível linearidade entre o aumento
da intensidade e o comportamento da freqüência cardíaca durante o teste. Contudo,
o maior incremento na freqüência cardíaca ocorreu na passagem da fase de
aquecimento para o inicio do teste, pelo fato de nesse momento os atletas começarem
a correr. O melhor ajuste de curva foi definido pelo modelo MMF, que apresentou
valores de r e r2 de 0,95 e 90,25% respectivamente, para a seguinte equação:
FC(t)=(59752,37+(16831,96t)0,27)/(830,24+t0,27). Dessa maneira, conclui-se que
este teste pode ser utilizado para a mensuração do VO2MÁX de futebolistas, e tal
equação pode ser usada para se predizer a freqüência cardíaca em um determinado
tempo, caso seja desenvolvido um esforço com intensidade e duração semelhante
ao protocolo aplicado.Além disso, o presente estudo pode servir como referência
principal para uma possível validação do teste aplicado

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/64_Anais_p277.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.