Análise da Composição Corporal Estimada à Partir da Impedância Bioelétrica em Atletas de Handebol, Antes e Após Sessão de Treinamento

Por: Cândido Simões Pires Neto, E. L. Petrosk e Maria Fátima Glaner.

Kinesis - n.16 - 1997

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo teve como objetivo comparar a estimativa do percentual de gordura (%G), massa de gordura (MG) e massa corporal magra (MCM) em handebolistas de elite, através da impedância bioelétrica (IB), usando o RJL 101, antes e após sessão de treinamento. Foram avaliados 16 atletas masculinos da Seleção Brasileira de Handebol, que estavam em treinamento para os Jogos Pan- Americanos de 1994, (médias de idade = 26,9 ± 3,45 anos e estatura = 185,81 ± 4,99 cm). Os atletas foram mensurados pela manhã, antes do treino, em jejum, e após o treino intenso de 3 h. Durante o treinamento os atletas ingeriram água conforme suas necessidades. Após o treinamento nada foi ingerido. O teste t pareado evidenciou diferenças significativas na massa corporal, %G e MG (p < 0,001). Muito embora as limitações desta metodologia sejam conhecidas, os resultados indicam que os exercícios intensos proporcionam uma diminuição significativa da condutividade elétrica, (p < 0,002), superestimando, em conseqüência, as medidas obtidas pela IB. Sugere-se que ao avaliar a composição corporal de atletas após sessão de treinamento, utilize-se a técnica antropométrica, até que a assertiva da IB seja melhor esclarecida.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.