Análise da Bateria de Testes Short Physical Performance Battery de Acordo com a Classificação de Fragilidade em Idosos da Comunidade - Estudo Fibra

Por: Mateus Joaquim Carreira de Mello.

2015

Send to Kindle


Resumo

Objetivo Analisar o escore da bateria de testes Short Physical Performance Battery (SPPB) e identificar a sensibilidade, especificidade, valor preditivo positivo e positive likelihood ratio do escore da SPPB em relação à classificação de fragilidade definida a partir do fenótipo de fragilidade. Métodos: Estudo transversal exploratório de base populacional, subprojeto da Rede FIBRA - "Rede de Estudos de Fragilidade de Idosos Brasileiros". A amostra foi constituída de 775 participantes com 65 anos ou mais, de ambos os sexos, residentes na comunidade nos municípios de Barueri (São Paulo) e Cuiabá (Mato Grosso). A classificação de fragilidade foi realizada aplicando-se os critérios para determinação do fenótipo de fragilidade de Fried e colaboradores. Resultados: Quanto à fragilidade, 10% dos idosos foram classificados como frágeis, 48% como pré frágeis e 42% como não frágeis. Observou-se que dentre os critérios de fragilidade, os idosos que apresentaram lentidão na velocidade da marcha obtiveram os piores escores na SPBB e a sub-escala mais comprometida foi a de força de MMII. Para detectar idosos frágeis o melhor escore da SPPB foi o de 9 pontos (≤ 9 pontos) com uma sensibilidade de 87%, especificidade de 60% e positive likelihood ratio (+LR) de 2,1 o que aponta que quando os idosos pontuam 9 pontos ou menos há um aumento de cerca de 2 vezes a chance de ser frágil, considerado um pequeno aumento. Para identificação de idosos frágeis e pré frágeis o melhor escore da SPPB é 10 pontos (≤ 10 pontos) com uma sensibilidade de 74%, especificidade de 52% e +LR de 1,5, o que indica que quando se pontua 10 ou menos pontos na SPPB há um aumento mínimo na probabilidade de ser frágil ou pré frágil. O ponto de corte de 7 pontos tanto para identificar idosos frágeis quanto para identificar idosos frágeis e pré frágeis apresenta altos valores de especificidade e valores baixos de sensibilidade, indicando que trata-se de um ponto de corte que aponta adequadamente os idosos que não tem fragilidade e portanto, não seriam alvo de tratamento ou ampliação da investigação para fragilidade. Considerações Finais: A SPPB pode ser útil como um teste de rastreio para identificação de idosos frágeis, no entanto apenas com pequena chance de se reduzir a incerteza quanto ao diagnóstico de fragilidade.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000957187&opt=1

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.