Análise da Carreira Esportiva dos Atletas de Atletismo da Prova de 100m Rasos

Por: C. L. N. Silva, F. R. Cavichiolli, I. P. Costa e Rafael Gomes Sentone.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

A presente pesquisa tem por objetivo investigar o percurso da carreira esportiva dos atletas de atletismo da prova de 100m rasos no masculino e feminino através do ranking da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). Foram extraídos os 10 primeiros colocados do ranking por gênero no mês de dezembro do ano de 2014 e após verificado em anos anteriores suas passagens pelo ranking, quais e quantos clubes representaram nas competições e de qual estado são estes clubes, perenidade dos atletas no ranking da CBAt, estados de origem dos atletas, ano de obtenção do melhor índice, idade média dos atletas, quando iniciaram a carreira profissional no ranking e em quais categorias estão mais presentes. Como resultado verificou-se que os atletas permaneceram no ranking um tempo médio de 7 e 9,8 anos no masculino e feminino, respectivamente, iniciando no ranking com idade entre 14 e 15 anos e obtido suas melhores marcas nos últimos dois anos. Isso demonstra que necessitaram cerca de 6 a 8 anos para atingirem seus melhores resultados tempo este que pode ser dividido em três momentos sendo o de inserção, desenvolvimento da performance e manutenção de seus resultados. Outro dado identificou que a maior participação daqueles atletas aconteceu nas categorias adulto e sub-23 representando cerca de 70% de ambos os gêneros o que pode ser creditado à hipótese de haverem poucas provas para as categorias de menor idade e/ou haver pouco incentivo e divulgação para esses atletas. Da análise realizada aos clubes registrados cerca 36% e 25% concentravam-se em São Paulo e 21% e 34% no estado do Rio de Janeiro pelo masculino e feminino, respectivamente. Estes dados podem justificar a representatividade dos atletas os quais tem origem em 50% e 80% de São Paulo e 40% e 20% do Rio de janeiro dos homens e mulheres, respectivamente. Juntos, clubes e atletas, mostram que o desenvolvimento da região sudeste do Brasil em seu contexto histórico permite que sejam polo para incentivo de atletas de atletismo e ploriferação de clubes incentivadores do esporte. Assim é necessária a atenção com pesquisas como esta que buscam realizar um diagnóstico específico para discutir a política e gestão do esporte de alto rendimento num contexto com suporte exploratório. 

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.