Análise da Demanda Fisiológica Crônica de Uma Temporada Anual de Futebol

Por: Daniel Barbosa Coelho, Eduardo Mendonça Pimenta, , João Batista Ferreira-júnior, Lenice Kappes Becker, Leonardo Gomes Martins Coelho, Rodney Coelho da Paixão e Rodrigo Figueiredo Morandi.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.17 - n.4 - 2015

Send to Kindle


Resumo

O monitoramento da intensidade de esforço entre atletas tem se mostrado essencial para o controle e planejamento do treinamento desportivo. Assim, o objetivo do presente estudo foi avaliar por meio de biomarcadores sanguíneos a demanda fisiológica crônica de jogadores de futebol ao longo de uma temporada anual. Dez jogadores profissionais (21,2 ± 3,7 anos) participaram desse estudo. As coletas de sangue foram realizadas no dia anterior ao início da pré-temporada (C1), ao final da pré-temporada e início das competições (C2), e ao final do ano competitivo (C3). Investigou-se as variáveis cortisol, testosterona, relação testosterona/cortisol, creatina quinase, alfa-actina e interleucina 6 (IL-6). Para a análise estatística dos dados utilizou-se ANOVA para medidas repetidas e foi adotado nível de significância de 5%. Os resultados encontrados indicaram diferenças significativas nas seguintes situações: testosterona - C1 maior do que C2 e C3; cortisol – C3 maior do que C2; relação testosterona/cortisol – C2 maior do que C1, e C3 menor do que C1 e C2; creatina quinase – C2 e C3 maior do que C1; alfa-actina – C3 maior do que C1. As concentrações de IL-6 em C1, C2 e C3 não demonstraram diferenças significativas. Pode-se concluir que uma temporada anual de futebol impõe elevada demanda fisiológica entre jogadores profissionais, uma vez que foram observadas alterações relevantes sobre os biomarcadores sanguíneos analisados.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2015v17n4p400

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.