Análise do Desenvolvimento Neuropsicomotor em Crianças Nascidas Prematuras e com Baixo Peso

Por: Ivanete Fernandes do Prado.

75 páginas. 2018 27/02/2018

Send to Kindle


Resumo

Esse estudo teve como objetivo analisar o desenvolvimento neuropsicomotor em crianças nascidas prematuras e com baixo peso acompanhadas nas Unidades de Saúde da Família da cidade de Guanambi Bahia, por meio do Teste de Triagem de Desenvolvimento de Denver II. Trata-se de um estudo do tipo transversal com delineamento do tipo caso controle, aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Católica de Brasília e Secretaria de Saúde do Estado da Bahia sob o parecer nº 913.952. Depois da experimentação prévia dos instrumentos de coleta de dados num estudo piloto, iniciou-se a avaliação propriamente dita de crianças com idades entre zero e seis anos acompanhadas nas Unidades de Saúde da Família (Grupo Caso) e Casa da Criança (Grupo Controle). A análise dos dados foi feita por meio de tabelas de distribuição de frequências, testes de qui-quadrado e Exato de Fisher e regressão logística. A amostra foi composta por 85 crianças, sendo 55,3% (n=47) do grupo caso e 44,7% (n=38) do grupo controle. A análise individual mostrou associação significativa entre os grupos e a idade gestacional, peso ao nascer, tipo de parto, internação e local da residência, renda do pai, a idade e a escolaridade da mãe. Observou-se maior porcentagem de parto cesáreo, de crianças que ficaram internadas, de mães mais velhas e com maior escolaridade no grupo caso no grupo caso e maior porcentagem de pais com renda de até um salário mínimo no grupo controle. No grupo caso foi encontrado maior percentual de atrasos e cautelas nos itens individuais na área da linguagem e pessoal-social e no grupo controle na área da linguagem e motora-fina-adaptativa. Não houve diferença estatisticamente significante nas quatro áreas em relação ao resultado dos itens individuais entre os grupos. Do total de crianças, 14,1% apresentaram resultado questionável no Denver II, sendo 21,3% das crianças do grupo caso e 5,3% das crianças do grupo controle. Crianças que foram internadas e de mães com escolaridade mais baixas têm 18,52 e 8,57 vezes mais chance de apresentar resultado questionável no Denver II, respectivamente. Na análise múltipla os grupos não apresentaram associação significativa com o desenvolvimento neuropsicomotor. Apenas a internação da criança e a escolaridade da mãe apresentaram associação significativa com o desenvolvimento neuropsicomotor. Ressalta-se a importância do acompanhamento do desenvolvimento neuropsicomotor em crianças nascidas prematuras e ou com baixo peso. Isso permitirá minimizar os danos que possíveis atrasos e cautelas podem trazer para a vida futura e sinalizar a necessidade de intervenção precoce em casos específicos, em que tenham sido identificados atrasos no desenvolvimento. Recomenda-se também a orientação das mães e ou cuidadores sobre a importância da atividade física no estímulo do desenvolvimento infantil.

Endereço: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/2387

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.