Análise dos Coeficientes de Eficácia Colectiva e dos Acontecimentos Precedentes Aos Momentos Críticos dos Jogos de Basquetebol

Por: Cristiano Ribeiro e Jaime Sampaio.

X Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Introdução e objectivos: O presente trabalho teve o objectivo de identificar os momentos dos jogos de Basquetebol, caracterizando os acontecimentos determinantes para o desfecho final. Material e métodos:Para a realização do estudo foram utilizadas as estatísticas dos 34 jogos disputados pela equipa do Leche Rio Breogan, referentes a toda a fase regular 2002/2003 da Liga ACB de Espanha, com o objectivo de analisar a ocorrência dos momentos críticos em cada período do jogo e os aconteci-mentos precedentes em função do seu contexto (local e catego-ria) e desfecho. Para determinar os CEO das duas equipas e registar todos os acontecimentos foi utilizado o software Basquestatística ver. 1.1 ©. Principais resultados e conclusões:Existiu uma clara influência da vantagem casa para o desfecho dos jogos, que foi particular-mente evidente na 2ª metade da fase regular. Na maior parte das vezes, esta vantagem contribuiu para desequilibrar o resul-tado dos jogos e, em menor frequência, pareceu dificultar as vitórias das equipas que jogaram fora, uma vez que os resulta-dos foram maioritariamente equilibrados. A variação intra-jogo dos valores de CEO dos jogos analisados apresentou diferentes perfis. Deste modo devemos, prioritariamente, entender toda a informação facultada pelas estatísticas de uma forma global e no contexto específico de cada jogo. Os primeiros e os últimos minutos dos jogos (i.e., o 1º e 4º períodos) afiguraram-se como os momentos mais decisivos para o seu desfecho, sendo que o 3º período pareceu ser o menos decisivo. Da análise do local dos jogos, verificou-se a existência de diferentes perfis diferenciadores da ocorrência de momentos críticos. Assim, quando se jogou em casa, existiu uma tentativa de ganhar o jogo o mais rapidamente possível (i.e., na 1ª metade das partidas) e, quando se jogou fora, as tentativas para ganhar o jogo verificaram-se no 4º período. Nos resultados referentes à categoria dos jogos, verificámos que as tentativas de decisão dos mesmos se verificaram nos 1º e 3º períodos nos jogos muito desequilibrados, no 2º período nos jogos desequilibrados e no 4º período nos jogos equilibrados. A vantagem casa também parece influenciar a capacidade de conseguir contrariar uma desvantagem causada
por um momento crítico. Relativamente aos acontecimentos precedentes aos momentos críticos: i) as 4 as faltas num perío-do parecem ter causado mais momentos de jogo desfavoráveis do que favoráveis, conduzindo a derrotas por parte de quem as cometeu sendo, adicionalmente, um factor desequilibrador dos jogos; ii) os descontos de tempo pedidos por uma equipa, nos jogos equilibrados, parecem ter sido um acontecimento que favoreceu mais a ocorrência de momentos de jogo favoráveis do que desfavoráveis, enquanto que o inverso pareceu suceder nos jogos desequilibrados; iii) as 5 as faltas de um jogador apresentaram um comportamento contrário ao que seria de esperar para a criação de momentos críticos, i.e., após a sua ocorrência sucederam-se mais momentos de jogo que foram favoráveis à equipa do jogador excluído, do que momentos desfavoráveis (no entanto esses momentos de jogo favoráveis não parecem ter conduzido as equipas às vitórias) e iv) as substituições parecem não ter tido qualquer influência na ocorrência de momentos críticos favoráveis ou desfavoráveis.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.