Análise dos Efeitos da Corrida em Piscina Profunda na Função Muscular, Funcionalidade e Qualidade de Vida de Idosas da Comunidade

Por: Paulo Cesar Barauce Bento.

104 páginas. 2017 21/02/2017

Send to Kindle


Resumo

O exercício aquático é uma das formas utilizadas para prevenir, retardar e melhorar as disfunções físicas e psicológicas advindas do envelhecimento, pois associa os benefícios do exercício físico aos efeitos da imersão em piscina aquecida. O objetivo deste estudo foi analisar os efeitos de um programa de corrida em piscina profunda (CPP) na função muscular, funcionalidade e qualidade de vida de idosas da comunidade. Participaram do estudo 19 idosas, alocadas em um dos grupos: corrida em piscina profunda (CPP; n=09; 64,33±4,24 anos; 75,15±12,53 kg; 160,45±7,52 cm) ou controle (CON; n=10; 64,4±4,22 anos; 74,46±12,39 kg; 158,88±5,48 cm). Foram avaliadas as características antropométricas; a função muscular por meio de teste de força em dinamômetro isocinético em duas velocidades angulares (60°/s e 180°/s); a funcionalidade por meio da bateria de testes: Short Physical Performance Battery (SPPB), Timed Up and Go Test (TUGT), Teste de Caminhada de 10 metros (TC10), Teste de Caminhada de 6 minutos (TC6); nível de atividade física pelo International Physical Activity Questionaire (IPAQ) e qualidade de vida por meio do questionário Medical Outcomes Study 36- Item Short-Form Health Survey (SF- 36). O programa de treinamento da CPP teve duração de 18 semanas, com duas sessões semanais de 50 minutos realizados em piscina aquecida. O programa iniciou com 2 semanas de familiarização ao ambiente e ao equipamento e 16 semanas de treinamento, subdivididos em 3 etapas de intensidade de esforço (pouco intenso, intenso e muito intenso) controlados pela Escala de Percepção Subjetiva de Esforço de Borg (13-17). O grupo CPP apresentou melhor desempenho no pico de torque à 60°/s dos extensores e flexores de quadril (20,92%, 16,21%) e joelho (12,25%, 33,18%). Houve aumento do pico de torque à 180°/s dos extensores de quadril (22,51%) e flexores do joelho (39,77%). O grupo CPP apresentou incremento na velocidade da marcha (43,96%) e redução no tempo de execução do TUGT (10,94%), TC10 (14,48%), TC6 (7,60%) e no teste de levantar e sentar na cadeira 5 vezes (8,98%). Adicionalmente após o programa de exercícios o grupo CPP apresentou melhor resultado na capacidade funcional (9,61%), vitalidade (10,20%), aspectos sociais (79,41%) e saúde mental (8,60%). Os resultados indicam que o programa de corrida em piscina profunda foi efetivo para melhorar a função muscular de idosas e a repercussão destas alterações para a realização dos testes funcionais, com impacto positivo na qualidade de vida.

Endereço: http://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/48934

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.