Análise dos Efeitos da Intervenção Fisioterapêutica na Instabilidade Funcional de Tronco e Pelve de Uma Paratleta da Modalidade de Atletismo de Campo: Um Estudo de Caso

Por: Ana Carolina Maia.

II Congresso Paraolímpico Brasileiro

Send to Kindle


Resumo

O paradesporto vem conquistando um lugar de destaque, com grandes nomes brasileiros nos pódios de competições, desencadeando uma ascendente valorização desta modalidade e, conseqüentemente, uma atenção maior voltada à saúde e condições músculo-esqueléticas dos paratletas, para que os mesmos adquiram e mantenham-se com um bom desempenho esportivo. Para tal, alguns aspectos de postura e movimento devem ser relevados quando se trata da realização do gesto desportivo, sendo focado no presente estudo o arremesso de disco de uma paratleta cadeirante. A falta de desenvolvimento da flexibilidade é um fator limitante da velocidade máxima de realização, da aprendizagem das técnicas e da economia, visto que aumenta o gasto energético, além de por si só, facilitar a fadiga e possíveis lesões. Ou seja, é um fator limitante do rendimento esportivo. Um bom equilíbrio muscular da região lombo-pélvica auxilia e proporciona uma melhor estabilidade quando sentada no banco de arremesso, permitindo que a paratleta permaneça mais segura, reduzindo seu medo de cair e, gerando maior eficácia na realização do arco de movimento.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.