Análise da Força de Preensão Manual Durante o Campeonato Mineiro de Judô Ricardo Freitas Dias, álvaro Penoni, Douglas Marques, Aline Maria dos Santo

Por: Aline Maria dos Santos, Álvaro Penoni, Douglas Marques e Ricardo Freitas Dias.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução: A pegada apresenta importância fundamental, pois uma pegada que
imponha dificuldades ao adversário influenciará positivamente na execução das
técnicas do judô e o desenvolvimento da força isométrica pode auxiliar na execução
de uma pegada que permita ao judoca levar vantagem sobre seu oponente. Esta
pesquisa comparou a força de preensão manual (FPM) antes e após a luta, bem
como verificou as diferenças entre a FPM do membro superior (MS) direito e
esquerdo. Materiais e Métodos: Foram avaliados 42 judocas do gênero masculino
da classe júnior e sênior. A FPM foi determinada através do teste de preensão manual
proposto por Johnson & Nelson 1979, utilizando um dinamômetro da marca Kratos
capacidade de 100 kgf, precisão de 0,5 kgf. Os atletas realizaram a medida (FPM)
imediatamente antes e após a luta. Dentre as análises dos dados obtidos utilizou-se
o teste de SHAPIRO-WILK,Análise Descritiva, Correlação de Pearson e o teste T
- Student Pareado de amostras independentes, para tal estudo foi adotado um nível
de significância de p < 0,05. Resultados: Os judocas apresentaram uma (FPM)
simétrica nos (MS) esquerdo e direito. Os resultados encontrados neste estudo
demonstram que os dados obtidos são inferiores quando comparado com judocas
de nível mundial, isto pode ser justificado, pois os níveis competitivos, dos atletas
deste estudo não pertenciam a um grupo de projeção internacional. A duração do
combate apresentou uma correlação negativa com o teste de FPM, isto é, quanto
maior a duração do combate maior a queda na FPM. Conclusões: Devido o judô ser
caracterizado por uma atividade anaeróbica lática e que o acúmulo excessivo de
lactato traz prejuízo ao desempenho esportivo, os resultados da FPM foram menores
nas lutas de maior duração. É importante observar que a melhoria da FPM resulta
em uma pegada mais eficiente do judoca durante o combate. Contudo é preciso
atentar também para o fato que alguns atletas apresentaram assimetria na FPM.
Apesar das informações sobre FPM de judocas nacionais representantes das Ligas
estaduais serem escassas na literatura, cabe ressaltar que mais estudos devem ser
realizados para estabelecer o perfil dos judocas. Da mesma forma, os dados do
presente estudo podem relacionar informações com o objetivo de produzir
indicadores referenciais que são de fundamental importância para treinadores,
preparadores físicos e judocas

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/66_Anais_p303.pdf

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.