Análise do Potencial Mutagênico dos Esteroides Anabólicos Androgênicos (eaa) e da L-carnitina Mediante o Teste do Micronúcleo em Eritrócitos Policromáticos

Por: Décio Gomes de Oliveira, Douglas Fernandes da Silva, Edislane Barreiros de Souza, Rodrigo Pinheiro Araldi e Thais Biude Mendes.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.19 - n.6 - 2013

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO: Os esteroides anabólicos androgênicos são usados por pessoas que desejam aumentar sua massa muscular para obter um melhor desempenho nos esportes ou melhorar a aparência física. Os EAA são derivados sintéticos da testosterona, capazes de promover a hipertrofia das fibras musculares, aumentando a síntese proteica intracelular. A L-carnitina é um suplemento alimentar empregado para aumentar a produção energética por meio da oxidação de ácidos graxos. Embora haja trabalhos mostrando as propriedades fisiológicas dessas drogas, há poucos estudos sobre o potencial mutagênico das mesmas. 
OBJETIVOS: Este trabalho avaliou a clastogenicidade e genotoxicidade do decanoato de nandrolona, decanoato de testosterona e da L-carnitina, em diferentes tratamentos, através do teste do micronúcleo em eritrócitos policromáticos de ratos Wistar. 
MÉTODOS: Os animais foram submetidos a diferentes concentrações e associações de EAA. O controle positivo recebeu ciclofosfamida 50 mg/kg através de injeção intraperitoneal e o controle negativo, 1 ml de soro fisiológico por gavagem. Os ratos foram sacrificados após 36 horas da última aplicação, tendo seus fêmures removidos e a medula óssea extraída. O material foi homogeneizado e centrifugado. O botão de células foi pipetado e transferido para as lâminas, que foram coradas com Giemsa. Foram contados 1.000 eritrócitos policromáticos por animal, observando a frequência de micronúcleos. 
RESULTADOS: Foi realizado o teste de Kruskal-Wallis, com nível de significância de 5%, que demostrou que o decanoato de nandrolona - três doses de 0,2 mg/kg e 0,6 mg/kg, oito doses de 7,5 mg/kg, L-carnitina - sete doses de 0,4 ml/250g e 1,5 ml/250g, decanoato de testosterona - 28 doses de 0,075 mg/kg, decanoato de nandrolona - oito doses de 7,5 mg/kg associado a L-carnitina 1 ml e decanoato de nandrolona - oito doses de 7,5 mg/kg associado à decanoato de testosterona - oito doses de 7,5 mg/kg apresentaram potencial mutagênico. 
CONCLUSÃO: Os tratamentos revelaram-se clastogênicos, não sendo indicado como recurso ergogênico.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922013000600014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.