Análise da Produção do Conhecimento no Campo da Educação Física Escolar: Brasil e Espanha

Por: Carlos Alberto Garcia.

IX EnFEFE - Encontro Fluminense de Educação Física Escolar

Send to Kindle


O contexto da produção acadêmica na educação física escolar

A partir dos anos 60 a crescente tendência das investigações educativas no Brasil valorizou exclusivamente os saberes específicos das disciplinas. Na década de 1970, entretanto, foram priorizados os aspectos didáticos metodológicos voltados à tendência técnica e na década de 80 à dimensão sócio-política e ideológica da prática pedagógica (Fiorentini, et al. 1998).

Pode-se dizer que há um "certo consenso" de que a década de 1980 foi reconhecida como um período de grandes denúncias, principalmente ao enfoque positivista e ao processo de dicotomia teoria e prática, chamando a atenção para necessidade de maior reflexão crítica dos profissionais quanto aos aspectos de ordem político-pedagógicos mais amplos da educação e da realidade social como um todo.

No campo da Educação Física, nas últimas duas décadas, pode ser observado um aumento acentuado nas produções acadêmicas relacionadas a sua inserção na escola, que estabeleceram críticas às práticas de caráter técnico instrumental que priorizavam os conteúdos esportivos em detrimento a outros que refletiam os princípios da instituição desportiva e competitiva. Também se questionou seu caráter de atividade frente ao de disciplina curricular e se propunha a superação da relação linear entre o conhecimento científico-técnico e a prática em aula.

Autores como Caparróz (1997 e 2001) e Oliveira (2001) chamam a atenção ao fato de que, ainda que esta área tenha conseguido dialogar com os setores educativos e avançado no aspecto da crítica em seu interior, esta "interlocução ocorreu no âmbito das teorias gerais da educação, no sentido de buscar concepções que conformariam as práticas pedagógicas". Segundo os autores a impressão é de que a Educação Física não tem conseguido "olhar para seu próprio interior e visualizar as questões da prática pedagógica, do componente curricular, da didática" (Caparróz, 1997, p.15-16) sendo necessário pensa-la de forma a superar a dicotomia entre a produção acadêmica e o reflexo para a transformação do cotidiano de trabalho do professor.

No âmbito educacional a busca da superarão da relação linear e mecânica entre o conhecimento científico-técnico e a prática na aula, desde diversas perspectivas teóricas matizadas de maneiras diferentes, provocou o surgimento do movimento de reflexão sobre a prática, surgindo metáforas alternativas que viessem a construir um outro professor e uma outra prática pedagógica (Pérez Gómez, 2002).

Portanto, essa busca se converteu num desafio para que os investigadores esclareçam o marco teórico-conceitual e, conseqüentemente, metodológico das investigações que consideram a complexidade das realidades educativas e do cotidiano pedagógico como problemas práticos e não como temas técnicos (Monteiro, 2001).

No campo da Educação Física escolar a partir da críticas elaboradas nos anos 80 e, principalmente, com o surgimento das proposições pedagógicas apresentadas nos anos 90, a produção no campo escolar se amplia e surge um outro grande debate: quais proposições estavam mais próximas daquelas referências de caráter progressista que faziam críticas ao ensino instrumental e seus desdobramentos na prática da Educação Física na escola?

A discussão a respeito dessas concepções ganha fôlego e se consolida ao longo dos anos 90. Neste sentido, vão se configurando diversos cenários na Educação Física escolar, os quais vêm sendo pesquisados a partir de vários objetivos como: criar banco de dados sobre a produção de conhecimento nesta área; realizar síntese desse conhecimento; estabelecer nexos entre a produção científica geral e o contexto da Educação Física escolar; etc.

Na Espanha este movimento não foi diferente. A partir da abertura política nos finais dos anos 70, este país realizou tanto sua reforma educacional como também nas demais áreas econômicas, sociais, políticas e etc. Na área educacional, desde a década de 1960 existia uma grande representatividade nacional dos grupos denominados Movimentos de Renovação Pedagógica (MRP’s), que resistiam, de maneira quase que clandestina às imposições da ditadura vivida naquele país, no que se refere às práticas pedagógicas que os professores deveriam utilizar (Terra, 2004).

As experiências desse movimento subsidiaram as reformas educacionais acelerando as transformações pedagógicas. Segundo Martinez (2004) a Educação Física escolar também acompanhou este processo, entretanto pelas fortes raízes da tendência militar, encontrou e tem encontrado dificuldades em superar tal anacronismo.

No Brasil, no interior Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE), através de seus congressos bi anuais (CONBRACE) e de suas Revistas trimestrais, o debate sobre o tema da Educação Física escolar tem sido motivado, configurando-se em um espaço privilegiado de discussão. Na Espanha, os Congressos Nacional de Educação Física das Faculdades de Educação e a Revista Apunts do Instituto Nacional de Educação Física da Catalunya (INEFC), são hoje considerados referências na produção e divulgação de conhecimento nesta área.

Um dos poucos estudos realizados especificamente sobre análise da produção da Educação Física escolar tendo como referência o material publicado no CBCE é o de Almeida et al. (2003), porém os autores analisaram a produção dos Anais do CBCE dos anos de 1997, 1999 e 2001. Diferentemente desse estudo, iremos utilizar os Anais de todos Congressos dessa entidade científica e todas as Revistas.

Além disso, um outro elemento que consideramos relevante e diferenciador deste estudo é realização de entrevistas aos pesquisadores de expressividade nacional nesta área tanto no Brasil como na Espanha, pois consideramos que assim teremos mais elementos para analisar as produções que serão investigadas neste estudo.

Na Espanha, segundo Lleixà (2004), os estudos realizados nesta perspectiva estão centrados em análises relacionadas as leis educativas, que naquele país tem um caráter mais prescritivo, principalmente na área da Educação Física, havendo assim, também, uma certa ausência de investigações nesta perspectiva.

O motivo da escolha desses eventos e revistas tanto no Brasil como na Espanha se justifica, pois são dois eventos e periódicos que em seus respectivos países possuem uma relevante representatividade para a área em função da qualidade do caráter acadêmico e científico com que é desenvolvido, sua periodicidade, sendo avaliado, recomendando e financiado pelos órgãos de fomento a pesquisa de seus respectivos países.

O fato de se investigar o mesmo tema nos dois países não implica na realização de análises comparativas, o que seria um equivoco em função das condições políticas, econômicas e sociais que nos separam. A intenção é que possamos nos aproximar de algumas problemáticas teóricas e metodológicas comuns que nos unem, e colaborar nas reflexões específicas que um ou outro país venha a realizar.

É a partir desta perspectiva que acreditamos ser pertinente mapear esses estudos e ter uma referência sobre quais os rumos percorridos pela Educação Física escolar nos dois países e como os investigadores vêem estes rumos? Quais seus pontos de vistas? Seus impasses? Suas influências e possibilidades?

Neste sentido, tomando como referência os eventos e produções acima citados, a intenção deste projeto é mapear os estudos existentes neste espaços na perspectiva de melhor conhecer os rumos da Educação Física escolar, buscando oferecer elementos que possam colaborar no aprofundamento desta temática e subsidiar estudos no campo prática pedagógica cotidiana dos professores desta área nos dois países.

Enquanto objetivo central definimos por "conhecer e analisar a produção do conhecimento no campo da área da Educação Física escolar no Brasil e na Espanha, considerando as publicações encontradas nos periódicos do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (Brasil) e Revista Apunts (Espanha), assim como nos Anais do Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e Congresso Nacional de Educação Física das Faculdades de Formação de Professores (Espanha), com a finalidade de oferecer elementos que colaborem no aprofundamento da temática e subsidiem estudos e intervenções no campo da prática cotidiana dos professores de Educação Física".

Metodologia

Pela forma como contextualizamos e definimos o objetivo este estudo este se caracterizará através de uma perspectiva qualitativa, de natureza interpretativa crítica que segundo André (1995) permite um plano de trabalho aberto e flexível, onde os focos do projeto são constantemente revisados, as técnicas de recorrer as informações são reavaliadas, os instrumentos reformulados e os fundamentos teóricos repensados. Esse tipo de perspectiva metodológica possibilita um esquema teórico não fechado e de visão ampliada, profunda e integrada ao fenômeno a ser estudado, neste caso a produção teórica da Educação Física escolar.

Os instrumentos para obtenção dos dados serão aqueles pertinentes à estudos qualitativos de caráter bibliográfico exploratório que segundo Gil (1995), envolve entre outros elementos o levantamento bibliográfico, documental e entrevistas não semi-estruturadas.
No que se refere ao objetivo do projeto pode-se dizer que esse tipo de pesquisa bibliográfico exploratória está diretamente relacionada, pois segundo Gil (1995, p. 44-45), estas "têm como principal finalidade desenvolver, esclarecer e modificar conceitos e idéias, com vistas na formulação de problemas mais precisos ou hipóteses pesquisáveis para estudos posteriores proporcionando visão geral, de tipo aproximativo, acerca de determinado fato".

Entrevistas

Serão realizadas entrevistas individual semi-estruturada com os investigadores que possuem uma produção expressiva neste campo no Brasil e na Espanha. O tipo de entrevista será de caráter aberto dado a possibilidade de negociação entre investigador e investigado. Assim, os entrevistados podem fazer menção a outras questões, realizar correções ou reformular idéias que tenham sido expostas e os investigadores podem explorar as mensagens para aprofundar temas ou solicitar esclarecimentos de alguma situação que ficaram pendentes.

Conforme Woods (2001) esse tipo de entrevista permite estabelecer discussões através de um processo de diálogo livre e bidirecional com os entrevistados permitindo explorar as mensagens desde que não cause inquietudes entre investigador e investigado.

A entrevista com autores brasileiros será realizada em setembro de 2005 no XIV Conbrace em Porto Alegre no Rio Grande do Sul. E com os autores espanhóis em novembro de 2005 no XXIII Congreso Nacional de Educación Física e I Congreso Internacional de Educación Física.

A principio, as entrevistas ficarão a cargo dos membros executores do projeto em cada país. A definição das pautas que orientarão a construção dos roteiros das entrevistas será estruturada a partir do levantamento e análise dos trabalhos.


Considerações finais

Ainda que seja prematuro realizar considerações finais neste momento inicial do projeto acreditamos ser relevante ressaltar aqui a pertinência de mapear esses estudos e ter uma referência sobre quais os rumos percorridos pela Educação Física Escolar nos dois países e como os investigadores vêem estes rumos? Quais os seus pontos de vista? Seus impasses? Suas influências e possibilidades?


Além disso, consideramos que os estudos que se encontram dentro desta perspectiva têm contribuído na área da Educação Física para um maior aprofundamento sobre determinadas temáticas, nos ajudando assim a repensar outros estudos e algumas possibilidades de planejamento e intervenção. Esperamos que a partir do desenvolvimento desta investigação, possamos contribuir no aprofundamento da temática e subsidiar investigações no campo da prática pedagógica cotidiana dos professores desta área nos dois países.

Finalmente, entendemos que a possibilidade de discussão do projeto neste evento poderá contribuir para diferentes análises e reflexões pertinente tanto ao seu conteúdo como também nos metodológicos, já que na época de realização deste evento já teremos outros dados para debater tanto em função das análises dos artigos como também das entrevistas que serão realizadas neste espaço.

Obs. Obs. Os autores Carlos Alberto Garcia (Bolsista PIBIC/FAPEMIG), Andréia Lúcia de Oliveira Meira, Ricardo Palitot Antas e Dinah Vasconcellos Terra (dv.terra@terra.com.br) são da FAEFI/UFU.

Referências bibliográfica

  •  André, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus.1995.
  • Caparroz, F.E. Entre a Educação Física na Escola e a Educação Física da Escola: A educação Física como componente curricular. Vitória: UFES, Centro de Educação Física e Desportos, 1997.
  • Caparroz, F. E. Perspectiva para compreender e transformar as contribuições da Educação Física na constituição dos saberes escolares. En: Fereira Neto, A. (Org.) Pesquisa Histórica na Educação Física. Vitória: Proteoria. p. 49-84. 2001.
  • Fiorentini, D.; Souza Junior, A. J. e MELO, G. F. A. Saberes docentes: um desafio para acadêmicos e práticos. En. GERALDI, C. M. G.; Fiorentini, D. y Pereira, E. M. A. (1998). Cartografias do trabalho docente: professor (a)-pesquisador (a). Campinas: Mercado de Letras. p.307-335. 1998.
  • Gil, A. C. Métodos e Técnicas de pesquisas social. São Paulo: Atlas. 1995.
  • Lleixa, T. R. Políticas Educativas Europeas y Educación Física. En: Caparroz, F. E. e Andrade Filho, N. F. Educação Física Escolar: política, investigação e intervenção. Vitória: UFES, LESEF: Uberlândia: UFU, NEPECC. p 51-70. 2004.
  • Martínez, L. A. Una aproximación histórica a las políticas educativas de la Educación Física en España. En: CAPARRÓZ, F. E. e Andrade Filho, N. F. Educação Física Escolar: política, investigação e intervenção. Vitória: UFES, LESEF: Uberlândia: UFU, NEPECC. p. 71-91. 2004.
  • Montero, L. La construcción del conocimiento profesional docente. Argentina: Ediciones: Homo Sapiens. 2001.
  • Oliveira, M. A. T. Para uma crítica da historiografia: as relações entre a ditadura militar e a Educação Física brasileira e a negação da experiência escolar do professor de Educação Física. En: Fereira Neto, A. Pesquisa histórica na Educação Física. Vitória: Proteoria. Volume: 5. p. 5-48. 2001.
  • Pérez GÓMEZ. A. I. La función y formación del profesor/a en la enseñanza para la comprensión. Diferentes perspectivas. En: GIMENO Sacristan J. y Pérez Gomez, A. I. Comprender y transformar la enseñanza. Madrid: Ediciones Morata. p. 398-429. 2002.
  • Terra, D. V. La construcción del saber docente de los profesores de educación física: los campos de vivencia. Departamento de Didáctica y Organización Educativa. División de Ciencias de la Educación. Universidad de Barcelona. Programa de Doctorado Desarrollo Profesional e Institucional para la Calidad Educativa. 2004.
  • Woods, P. La escuela por dentro. La etnografía en la investigación educativa. Barcelona: Paidós. 2001.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.