Análise da Resposta de Parâmetros Hemodinâmicos à Infusão de Tiramina Pós-treinamento Físico em Ratos Espontaneamente Hipertensos

Por: Munique Tostes Miranda.

71 páginas. 2014 23/01/2014

Send to Kindle


Resumo

O tônus simpático elevado e o aumento da Resistência Vascular Periférica (RVP) são características determinantes para o início e manutenção da Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS). O exercício físico é uma importante ferramenta no controle dos níveis pressóricos, porém sua influência direta no controle vasotônico periférico ainda é pouco explorada. O objetivo do presente estudo foi verificar as respostas vasopressóricas ao estímulo simpático provocado pela infusão de tiramina em ratos espontaneamente hipertensos (SHR) e seus respectivos animais normotensos controles (Wistar Kyoto – WKY), após a realização de um protocolo de treinamento físico aeróbico por natação. Para execução do trabalho, 33 ratos (48-50 semanas de idade) foram submetidos ou não a um protocolo de natação por oito semanas resultando em quatro grupos experimentais: normotensos sedentários (NS, n=7), normotensos treinados (NT, n=8), hipertensos sedentários (HS, n=9) e hipertensos treinados (HT, n=10). Pressão arterial (PA), frequência cardíaca (FC), variabilidade da FC (VFC) no domínio do tempo e da frequência e variabilidade da PA (VPA) foram registrados em condições basais. Em seguida, foi realizada a infusão de tiramina em três doses (75, 150 e 300 μL/Kg). Nos resultados, encontramos uma redução significativa da FC e da PA, diminuição do tônus simpático e aumento do tônus vagal, menor índice simpato-vagal, menor resposta ao estímulo com a tiramina e menor quantidade de fibrose nos tecidos hepáticos e renais do grupo hipertenso treinado (p<0,05). A VFC está reduzida no grupo hipertenso sedentário, associada ao alto índice do componente LF e baixo índice da banda HF, comparado ao grupo hipertenso treinado. A VPA apresentou-se aumentada no grupo HS. A resposta do grupo HT à tiramina foi significativamente menor do que no grupo HS, sugerindo uma redução da RVP. Dessa forma, concluímos que o treinamento físico aeróbio é capaz de atenuar o impacto da HAS, atuando tanto na adequação do balanço autonômico cardiovascular como reduzindo a RVP, provavelmente por estimular uma menor liberação de norepinefrina ao estímulo simpático.

Endereço: http://www.uftm.edu.br/paginas/curso/cod/1428/area/PROGRAMA+DE+POS-GRADUACAO+EM+EDUCACAO+FISICA/t/DISSERTACOES+DEFENDIDAS

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.