Análise Retrospetiva do Abandono de Jogadores de Futebol em Portugal

Por: António Carapinheira, Bruno Filipe Rama Travassos, Miquel Torregrossa, Pedro Guedes de Carvalho e Pedro Mendes.

Motricidade - v.14 - n.4 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Este estudo teve como objetivo analisar o abandono de jogadores de futebol de elite em Portugal. Para tal, foram avaliados a qualidade do abandono e os recursos disponíveis. Para a compreensão do processo de abandono desportivo de jogadores de futebol de elite, foram realizadas entrevistas aprofundadas e semi-estruturadas com noventa jogadores profissionais que jogaram na selecção nacional de futebol. A maioria dos jogadores de futebol portugueses investigados abandonaram a prática desportiva entre os 36 e 40 anos de idade. O seu abandono foi involuntário e passou menos de um ano para aceitarem o abandono. A maioria revelou como habilitações literárias o nível secundário, uma forte identidade atlética, e a não existência de planos para sua carreira pós-futebol. Revelaram que a família foi o seu principal suporte psicológico, e nenhum dos jogadores recebeu apoio de um programa formal. Apesar dos resultados serem consistentes com estudos anteriores em culturas do sul da Europa, o abandono desportivo de jogadores de futebol portugueses revelou particularidades. A maioria dos futebolistas portugueses abandonou a prática desportiva em idades superiores aos atletas de outros países. Contrariamente aos resultados anteriores verificou-se um abandono involuntário mas em que os jogadores tiveram um tempo relativamente curto para aceitar o abandono.

Endereço: https://revistas.rcaap.pt/motricidade/article/view/14982

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.