Análise Sociológica Sobre a Prática do Vôlei de Rua em Cuiabá/mt

Por: Caroline Maria de Lima e Francisco Xavier Freire Rodrigues.

Licere - v.22 - n.4 - 2019

Send to Kindle


Resumo

O artigo tratou do vôlei de rua em Cuiabá/MT como fenômeno sociológico. Procurou desvendar os componentes mediadores do vôlei de rua, bem como identificar os interesses de seus praticantes em Cuiabá/MT, além de evidenciar as histórias de vida de agentes sociais que constroem uma trajetória do lazer, ocupando os espaços comunitários, bairros e as ruas do centro urbano de Cuiabá/MT. A pesquisa buscou também traçar o perfil dos praticantes de vôlei de rua, diferenciar o vôlei de rua do vôlei de quadra e analisar as formas de sociabilidades e disputas em torno dos eventos e jogos de vôlei de rua. A questão norteadora da investigação foi a seguinte: Que estratégias delineiam as maneiras de fazer o “vôlei de rua” em Cuiabá/MT? Trata-se de uma pesquisa qualitativa e descritiva que se utilizou de entrevistas como técnica de coleta de dados. O aporte teórico utilizado é da sociologia contemporânea, os conceitos de campo e habitus de Bourdieu, e cultura e mediação cultural em Geertz, Barbero e Lamizet. O vôlei de rua média as relações sociais entre os atletas, sendo lazer, esporte e veículo produtor de sociabilidades. Dentro dos próprios relatos podemos perceber claramente as diferenças discursivas; uns mais conservadores ou resistentes, outros mais receptivos ao desconhecido, ao novo. Mas o fio condutor de todos os conflitos, provocador da ruptura ressignificante, reside naquele ato de expor publicamente o nome de jogadores que antes na quadra não tinham nenhuma relevância e no ambiente da rua (vôlei de rua) serem os reis da rua.

Downloads

Referências

BARBERO, M. J. As formas mestiças da mídia. Pesquisa FAPESP Online, edição 163, p. 10-15, setembro 2009, Entrevista concedida à Mariluce Moura. http://revistapesquisa.fapesp.br/2009/09/01/as-formas-mesticas-da-midia/.

______. M. j. Dos meios às mediações: Comunicação, Cultura e hegemonia. Tradução, Ronald Polito e Sérgio Alcides. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 1997. 360 p.

______. M. J. América Latina e os anos recentes: o estudo da recepção em comunicação social. In: SOUSA, M. W. (Org.). Sujeito, o lado oculto do receptor. São Paulo: Brasiliense/ECA-USP, 1995, p. 39-68.

BOAS, F. Antropologia cultural. Org. Celso Castro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004. 112 p.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: UNESP, 2004a. 86 p.

BOURDIEU, P. Razões práticas: Sobre a teoria da ação. Tradução de Mariza Corrêa. Campinas: Papirus, 2011, 232 p.

______. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003, 314 p.

______. A Economia das Trocas Linguísticas: O que falar quer dizer. São Paulo: Edusp, 1996a. 192 p.

______. A economia das trocas simbólicas. 3. ed. Org. Sergio Miceli. São Paulo: Perspectiva, 1992. 367 p.

______. Razões práticas: Sobre a teoria da ação. Irad. Mariza Corrêa. Campinas: Papirus, 1996b. 232 p.

______. Coisas Ditas. Tradução Cássia R. da Silveira e Denise Moreno Pegorim. Revisão técnica Paula Monteiro. São Paulo: Brasiliense. 2004b. 235 p.

______. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero. 1983. 289 p.

CAUNE, J. Pour une éthique de la médiation: Le sens des pratiques culturelles. Saint-Martin d'Hères: PUG, 1999. 294 p.

DENZIN, N. K. Interpretive biography. Newbury Park: Sage, 1989. 160 p.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1973. 214 p.

HATCH, J. A..; WISNIEWSKI, R. Life history and narrative: questions, issues and exemplary works. In: HATCH, J.; WISNIEWSKI, R. (Ed.). Life history and narrative. London: Routledge Falmer, 1995. p. 113-135.

LAMIZET, B. La médiation culturelle. Paris: L’Harmattan, 1999. 448 p.

LARAIA, R. de B. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Zahar, 1986. 116 p.

LIMA, C. M. de. Vôlei de Rua em Cuiabá e os aspectos mediadores da Cultura Contemporânea. Dissertação de Mestrado [Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea], Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2018. 122 p.

Endereço: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/16267

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.