Análise Temporal, Ações e Demandas Fisiológicas de Atletas Paranaenses de Badminton

Por: Loani Landin Istchuk.

2016 08/04/2016

Send to Kindle


Resumo

O estudo teve por objetivo caracterizar as demandas fisiológicas e características de tempo de jogo no “Circuito Paranaense de Badminton” para as modalidades de simples Masculina(SM), simples feminina(SF), duplas masculinas (DM) e femininas (DF) assim como duplas mistas (DX)por meio de análise temporal, frequência cardíaca e percepção subjetiva de esforço. A amostra foi constituída por 40 a O estudo teve por objetivo caracterizar as demandas fisiológicas e características de tempo de jogo no “Circuito Paranaense de Badminton” para as modalidades de simples Masculina(SM), simples feminina(SF), duplas masculinas (DM) e femininas (DF) assim como duplas mistas (DX)por meio de análise temporal, frequência cardíaca e percepção subjetiva de esforço. A amostra foi constituída por 40 atletas de badminton, 16 do gênero feminino (15,5±5,37 anos, 56,2±6,72 kg, 1,62±0,05m e IMC de 21,95±2,11 kg/m2) e 24 do gênero masculino (19,5 ± 5,19 anos, 69±17,33 kg, 1,75±0,08m e IMC 23,28±4,4 kg/m2) em37 jogos, 12 jogos de SM, 6 SF, 7 DM, 5 DF e 7 DX. Os resultados principais para análise temporal revelaram que jogos de SF duram menos tempo que SM, porém possuem um maior tempo efetivo, e que DM foi o jogo com menor duração e o mais rápido em termos de frequência de golpes, quando comparadas as modalidades (ANOVA) um elevado número de variáveis apresentou diferenças quando comparadas com SM. Para as análises relacionadas a frequência cardíaca foram relatadas seguintes médias para SM 165,26± 23,78 bpm, SF 172,38 ± 21,45 bpm, DM 141,05 ± 26,12 bpm, DF 143,61 ± 32,33 bpm e DX 157,44 ± 23,53 bpm. Os resultados para as intensidades de jogo nas zonas de FCmáx para SM foram 28,1% do jogo acima de 90% e 39,7% entre 81 e 90%, a SF apresentou-se em 51,1% do jogo acima de 90% e em 32,7% entre 80 e 90%. Ao observar o comportamento nas duplas, verifica-se que a DM manteve uma linearidade em todas as zonas e um tempo consideravelmente menor a partir de 90%, para DF observa-se que a FC se manteve durante grande parte do jogo nas zonas abaixo de 60% e de 71 a 90%, e em menor quantidade a partir de 90%. Para a DX o que se observa são menores quantidades de tempo nas zonas mais baixas e tendo uma maior concentração a partir dos 71% da FCmáx. destacando que a atleta feminina jogou em zonas mais elevadas. A percepção subjetiva de esforço relatada para SM obteve a maior média 4,82, índice “forte”, resultado muito próximo ao relatado pelas atletas de SF que reportaram média de 4,75 “forte”, as duplas apresentaram valores menores quando comparados a simples, sendo que os valores de DX e DF se aproximaram 3,75 e 3,28 respectivamente “moderado”, enquanto a DM apresentou o menor valor dentre todas as modalidades 2,62 “fracos”. Conclui-se que os resultados apresentados pelo presente estudo possuem grande potencial prático e científico pois identificam e caracterizam as diferenças existentes entre as modalidades disputadas no badminton, trazendo dados de competições reais e de atletas Brasileiros, contribuindo com informações que podem ser utilizadas por técnicos e preparadores físicos na elaboração de treinamentos das modalidades.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000206270

Ver Arquivo (PDF)

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2017 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.