Aptidão Cardiorrespiratória Estimada Por Diferentes Testes de Campo em Adolescentes

Por: Mariana Biagi Batista.

2010 16/07/2010

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do presente estudo foi verificar a aptidão cardiorrespiratória (ACR) estimada por diferentes testes de campo em adolescentes, com base em um método de referência. Participaram do trabalho 115 adolescentes (12,16 ± 0,8 anos), de ambos os sexos. Foram realizadas medidas de massa corporal, estatura, espessura de dobras cutâneas e, posteriormente, calculado o índice de massa corporal e percentual de gordura. Como indicadores da ACR, os adolescentes realizaram três diferentes testes de campo em ordem aleatória: corrida/caminhada de 9 minutos de Cooper (COOPER); corrida/caminhada de 1 milha (MILHA) e shuttle run de 20 metros (SR-20m) e, o consumo de oxigênio (VO2) foi calculado por equações específicas para cada teste. Além disso, a análise direta do VO2 (método de referência) foi realizada em laboratório, com um analisador de gases portátil (K4 b2, Cosmed), em protocolo de esteira, com aquecimento prévio de 3 min a uma velocidade de 6 km/h e, o inicio a 7 km/h e 1% de inclinação, com posterior incremento de 1 km/h a cada min, mantendo-se a mesma inclinação até a finalização do teste. O maior valor de VO2 encontrado no momento de interrupção do teste foi considerado o VO2pico, expresso de forma relativa (ml/kg/min), absoluta (L/min), ajustada alometricamente para massa corporal (ml/kg0,67/min) e pela massa corporal magra (ml/MCM/min). A ANOVA de medidas repetidas não detectou diferenças (P>0,05) entre as médias do VO2 (ml/kg/min) mensurado pelo método de referência e o VO2 estimado pelo teste da MILHA no grupo das meninas e, após ajuste alométrico, não houve diferença também entre o VO2 (ml/kg0,67/min) estimado pelos testes SR-20m e MILHA, neste mesmo grupo. Os dados de desempenho (erro padrão de estimativa e R de explicação) e concordância (x ± DP das diferenças) demonstraram que o teste da MILHA foi o que melhor estimou o VO2 (ml/kg/min) para os meninos (EPE=6,20; R2=0,58; 5,07±12,58). Por outro lado, o teste SR-20m representou a melhor alternativa para as meninas (EPE=6,49; R2=0,24; 2,45±12,64), bem como o teste da MILHA que não apresentou tendência de medida. Portanto, conclui-se que, após as análises de comparação, desempenho e concordância, os testes SR-20m e MILHA foram os que melhor estimaram o VO2 de meninos e meninas, quando comparado ao método de referência.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000164365

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.