Aptidão Física e Polimorfismo do Gene β2 - Adrenérgico em Crianças e Adolescentes com Excesso de Peso, Asmáticos e Não Asmáticos

Por: Leilane Lazarotto.

113 páginas. 2013 27/03/2013

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a frequência dos alelos Arg16Gly e Gln27Glu do gene do receptor β2-adrenérgico em crianças e adolescentes com excesso de peso asmáticos e não asmáticos, bem como comparar as condições metabólicas em crianças e adolescentes portadoras das mutações com aptidão física adequada e inadequada. Participaram deste estudo 220 crianças e adolescentes, de ambos os sexos, com idade entre 10 e 16 anos, avaliados quanto a frequência dos alelos do gene ADBR2, estatura, peso, índice de massa corporal (IMC), IMC-escore Z, circunferência abdominal (CA), estágio puberal, frequência cardíaca de repouso (FCrep) e pressão arterial (PA). Considerou-se excesso de peso o IMC acima do percentil 85 do CDC. O diagnóstico de asma foi realizado em 206 participantes, por meio do questionário International Study of Asthma and Allergies Childhood (ISAAC), os quais foram divididos em quatro grupos: excesso de peso asmáticos (G1; n=39), excesso de peso não asmáticos (G2; n=115), eutróficos asmáticos (G3; n=12) e eutróficos não asmáticos (G4; n=40). Foram dosados glicemia, insulinemia, colesterol total (CT), lipoproteína de alta densidade (HDL-C), lipoproteína de baixa densidade (LDL-C) e triacilglicerol (TG). O Homeostasis Metabolic Assessment (HOMA2-IR) e o Quantitative Insulin Sensitivity Check Index (QUICKI) foram determinados. O consumo máximo de oxigênio (VO2máx) foi avaliado em 150 participantes, que foram divididos em dois grupos: aptidão física adequada (n=25) e inadequada (n=125). A genotipagem das mutações Arg16Gly e Gln27Glu do gene ADBR2 foi desenvolvida pelo método de Taqman utilizando aparelho de PCR em Tempo Real. Utilizaram-se os testes t de student, Mann Whitney, análise de variância (ANOVA), Kruskall Wallis, Qui-quadrado e Regressão Multipla Escalonada, com nível de significância de p < 0,05. O alelo Gly16 foi encontrado em frequência de 62,9% no G1, 60,5% no G2 e 68,6% no G4, enquanto o alelo Arg16 apresentou frequência de 60% no G3. O alelo Gln27 teve frequência de 50% no G1, 66,2% no G2, 65% no G3 e 70,7% G4. Foram encontradas diferenças nas frequências do alelo Arg16Gly entre o G3 e G4 (x²=5,4 e p=0,02) e do alelo Gln27Glu entre o G1 e G4 (x²=4,54 e p=0,03). As condições metabólicas foram semelhantes entre os grupos, exceto o HDL-C que foi menor nos portadores do alelo Arg16Gly do G1 (p<0,05) e o CT que apresentou-se alterado nos indivíduos usuais do G2 (p<0,05). Na avaliação de aptidão física, o VO2máx foi inadequado entre os portadores do alelo Arg16Gly, em comparação aos seus pares usuais no G3 (p<0,05). A PAS e o LDL-C foram menores no grupo com aptidão adequada com variante genético em relação ao grupo com aptidão inadequada e sem variante genético (p<0,05), o mesmo foi observado na PAD para genótipos do alelo Gln27Glu (p<0,05). O IMC escore-Z foi associado inversamente com VO2máx, QUICKI, e HDL-C e apresentou tendência de associação positiva com o genótipo Gln27Glu. Sugere-se que a presença de Arg16 pode estar associado à ocorrência de asma e de Glu27 ao excesso de peso. A aptidão física adequada pode ser fator de proteção sobre as condições metabólicas em portadores de variantes genéticos.

Endereço: http://www.pgedf.ufpr.br/Dissertacoes.html

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.