Aptidão Física Associada à Saúde em Escolares Pré-púberes da Cidade de Muzambinho

Por: Antonio M. Prista, , Flavio Henrique Bastos, Go Tani, , Jorge Alberto de Oliveira, Maria Guadalupe S. Amorim e Raquel M. Barrocal.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução e objetivos: Aptidão física (ApF) relativa à saúde é um estado caracterizado por uma capacidade em realizar atividades com vigor, bem como pela demonstração de traços característicos que estão intimamente associados a um risco reduzido de desenvolvimento de doenças de natureza hipocinéticas. Conhecer o perfil de ApF de uma população pode auxiliar na elaboração e desenvolvimento de programas de Educação Física. O presente estudo teve como objetivo caracterizar transversalmente os níveis de ApF associados à saúde de escolares de 6 a 10 anos de idade da cidade de Muzambinho (MG, Brasil). Método: A ApF foi mensurada de acordo com a bateria Fitnessgram, constituída por quatro testes: corrida ou marcha da milha (capacidade aeróbia), abdominais (força e resistência dos músculos abdominais), flexões (força e resistência dos membros superiores), dorsais (flexibilidade e força dos músculos extensores do tronco). A amostra utilizada constou de: 105 meninos e 103 meninas (milha), 220 meninos e 208 meninas (abdominais), 218 meninos e 205 meninas (flexões), e 224 meninos e 207 meninas (dorsais). Os dados foram organizados por idade e gênero. Além da análise exploratória com base em estatísticas descritivas, os dados foram submetidos a comparações de médias por meio de análises de variância. Resultados: Nas provas de flexões e dorsais, não foram identificadas diferenças estatisticamente significativas. Nos abdominais, houve diferença para o fator idade (p<0,02): as crianças de 6 anos tiveram desempenho inferior médio (7 abdominais) em relação às crianças de 9 anos e as crianças de 10 anos tiveram desempenho inferior que as crianças de 7, 8 e 9 anos (8,9,12 abdominais). Na prova de milha, foi identificada diferença para o fator sexo (p<0,008): em média, as meninas completaram a prova em 81 segundos a mais que os meninos. Conclusões: Das variáveis de ApF, apenas a resistência aeróbia foi menor nas meninas. Considerando apenas as idades, pode-se dizer que as crianças de 6 e 10 anos apresentaram menor força e resistência dos músculos abdominais. De forma descritiva, em comparação às crianças portuguesas de Amarante, as crianças de Muzambinho apresentam maior força e resistência dos músculos abdominais e menor força e resistência dos membros superiores.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/66_Anais_p303.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.