Aquisição de Habilidades Motoras Aquáticas: Um Programa de Intervenção Estruturado com Base na Teoria de Instrução Para Crianças Jovens

Por: Clarice Alves Teixeira.

2008 22/12/2008

Send to Kindle


Resumo

O estudo de caráter experimental investigou a influencia de um programa de intervenção estruturado com base na teoria da instrução na aquisição de habilidades motoras aquáticas, em crianças jovens. Foram sujeitos do estudo 75 crianças matriculadas na rede de ensino publico. Os instrumentos utilizados foram: ficha de identificação das crianças jovens; questionários de percepção de competência; questionário de rotina de atividades; teste de desempenho motor (TGMD2); teste de habilidades motora aquática (ARA) e a implementação de um programa de intervenção com base na Predisposição, Estrutura, Seqüência e Reforço de Bruner (2006). Para o programa de intervenção motora foram delineados três grupos: G1 experimental com 3 aulas semanais; G2 experimental com 2 aulas e G3 (grupo controle). A intervenção teve duração de 16 semanas. Para a análise dos dados utilizou-se os testes: Correlação intraclasse, Média/SD e freqüência relativa; Teste t pareado; One Way Anova, Post Hoc (Tukey HSD) e General Linear Model (medidas repetidas) e Wilks`Lambada e análise qualitativa tipo categorial. Os resultados demonstraram que não houveram ganhos significativos no quociente motor dos grupos G1 e G2. Entretanto, nas habilidades de locomoção, ganhos significativos foram obtidos no grupo G1 e G2, aceitando parcialmente a hipótese H1; as habilidades motoras aquáticas apresentaram mudanças significativas nos grupos G1 e G2, evidenciando interação significativa no fator tempo e grupo, fator tempo e no efeito do grupo, aceitando a hipótese H2; na percepção de competência total, os grupos G1 e o G2, não apresentaram mudanças significativas, enquanto o G3 demonstrou que houve mudança significativa nos três tempos, rejeitando a hipótese H3; os resultados demonstraram ainda que houve correlação positiva, moderada e significativa da habilidade motora aquática com o desempenho motor amplo total (r=387*); o G1 apresentou correlação positiva, moderada e significativa nas habilidades motoras aquáticas com o desempenho motor amplo (r=0,460*); o G2 não apresentou correlações e o G3 demonstrou correlação positiva, moderada e significativa (r=0,520*) nas mesmas variáveis; a influencia do programa de intervenção motora aquática com diferentes freqüências, demonstrou mudanças significativas nas aquisições de habilidades motoras aquáticas nos grupos G1 e G2 quando comparados ao G3, aceitando a hipótese H4. Entretanto, não houve diferença significativa nas aquisições de habilidades motoras aquáticas entre os grupos G1 e G2, rejeitando a hipótese H5. Assim conclui-se: o programa de intervenção estruturado com base na teoria de instrução de crianças jovens teve influência significativa na aquisição de habilidades motoras aquáticas, nos grupos experimentais G1 e G2.

Endereço: http://nou-rau.uem.br/nou-rau/document/?code=vtls000170593

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.