Arte e Tragédia: Representações Sobre a Seleção Brasileira de 1982 em Livros do Século Xxi

Por: Diano Albernaz Massarani.

FuLia - v.3 - n.2 - 2018

Send to Kindle


Resumo

A história da seleção brasileira de futebol é marcada tanto por láureas como por derrotas que perduram no tempo e são frequentemente recontadas, como é o caso da Tragédia do Sarriá, nome dado à eliminação da seleção brasileira de 1982 da Copa do Mundo. Este artigo procura compreender a Tragédia do Sarriá como um dos eventos mais rememorados e intrigantes do futebol brasileiro, através da análise da construção de representações sobre o estilo de jogo da seleção brasileira de 1982, em livros publicados neste século que narram a trajetória desta equipe. Décadas após a Tragédia do Sarriá, a seleção brasileira de 1982 surge representada como a última seleção que praticou o futebol-arte, estilo de jogo tido como “genuinamente” brasileiro, sendo, por isso, vista como injustiçada pela não conquista do título da Copa do Mundo. Nesse processo construtivo, destaca-se a significativa participação da seleção brasileira campeã da Copa do Mundo de 1994 na posição de alteridade privilegiada.

Palavras-chave


Futebol-arte; Representações; Seleção brasileira de futebol; Tragédia do Sarriá.

Texto completo:

ANDRADE, Jeferson. A falta que faz um gol. Belo Horizonte: Página Aberta Editora, 2002.

BETING, Mauro. Apresentação. In: ROMAN, Gustavo; ZANATA, Renato. Sarriá 82: o que faltou ao futebol-arte?. Rio de Janeiro: Maquinaria, 2012, p. 11-13.

BETING, Mauro. Prefácio. In: ROCHA, André; COSTA, Michel. É Tetra!: a conquista que ajudou a mudar o Brasil. Rio de Janeiro: Via Escrita, 2014, p. 9-10.

CARMONA, Lédio. Contracapa. In: ROMAN, Gustavo; ZANATA, Renato. Sarriá 82: o que faltou ao futebol-arte?. Rio de Janeiro: Maquinaria, 2012.

CASTRO, Ruy. Contracapa. In: SALDANHA, João. O trauma da bola: a Copa de 82 por João Saldanha. São Paulo, Cosac & Naify, 2002.

CASTRO, Ruy. Orelha do livro. In: SALDANHA, João. O trauma da bola: A Copa de 82 por João Saldanha. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

COSTA, Leda. 1982: lágrimas de uma geração de ouro. In: HELAL, Ronaldo; CABO, Alvaro (orgs.). Copas do Mundo: comunicação e identidade cultural no país do futebol. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2014, p. 165-193.

DAMATTA, Roberto. Universo do futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1982.

FALCÃO, Paulo Roberto. Brasil 82: o time que perdeu a Copa e conquistou o mundo. Porto Alegre: AGE, 2012.

FARR, Robert. Representações sociais: a teoria e sua história. In: GUARESCHI, Pedrinho; JOVCHELICH, Sandra. (orgs.) Textos em representações sociais. Petrópolis: Vozes, 1995, p. 31-62.

FREYRE, Gilberto. Foot-ball mulato. Diário de Pernambuco. Recife, 17 jun. 1938.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Recife: Global Editora, 2003.

GUEDES, Simoni. De criollos e capoeiras: notas sobre o futebol e identidade nacional na Argentina e no Brasil. In: GASTALDO, Édison; GUEDES, Simoni. (orgs.) Nações em campo: Copa do Mundo e identidade nacional. Niterói: Intertexto, 2006, p. 127-146.

GUEDES, Simoni. A produção das diferenças na produção dos “estilos de jogo” no futebol: a propósito de um texto fundador. In: HOLLANDA, Bernardo Borges; Burlamaqui, Luiz Guilherme. (orgs). Desvendando o jogo: nova luz sobre o futebol. Niterói: EDUFF, 2014, p. 153-171.

HELENA JR., Alberto. Apresentação. In: MORA, Marcelo. Telê e a seleção de 82: da arte à tragédia. São Paulo: Publisher Brasil, 2012, p. 9-10.

LEITE, Milton. As melhores seleções brasileiras de todos os tempos. São Paulo: Contexto, 2010.

LISE, Riqueldi; CAPRARO, André; CAVICHIOLLI, Fernando. A Copa do Mundo de 1982 e o ‘‘turbilhão de emoções’’ nas crônicas de Nelson Motta. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 39, n. 1, 2017, p. 10-16.

MAIA, Paulo Maurício. As 22 seleções que mais encantaram ao longo da história. Rio de Janeiro: Rotativa, 2013.

MORA, Marcelo. Telê e a seleção de 82: da arte à tragédia. São Paulo: Publisher Brasil, 2012.

MOSCOVICI, Serge. Prefácio. In: GUARESCHI, Pedrinho; JOVCHELICH, Sandra. (orgs.). Textos em representações sociais. Petrópolis: Vozes, 1995, p. 7-14.

MOSCOVICI, Serge. A história e a atualidade das representações sociais. In: ______. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2009, p. 167-214.

MOSTARO, Filipe; HELAL, Ronaldo. Jornal da Tarde, 06 de julho de 1982: a imagem como construção de sentidos de uma derrota. Discursos fotográficos, Londrina, v. 12, n. 20, jan.-jul. 2016, p. 12-37.

PEREIRA, Mauro Cezar. Orelha do livro. In: ROMAN, Gustavo; ZANATA, Renato. Sarriá 82: o que faltou ao futebol-arte?. Rio de Janeiro: Maquinaria, 2012.

QUEIROZ, Maria Isaura. Identidade Nacional, Religião, Expressões Culturais: a criação religiosa no Brasil. In: SACHS, Viola. (org.). Brasil & EUA. Religião e Identidade Nacional. Rio de Janeiro: Graal, 1988, p. 59-93.

ROCHA, André; COSTA, Michel. É Tetra!: a conquista que ajudou a mudar o Brasil. Rio de Janeiro: Via Escrita, 2014.

ROMAN, Gustavo; ZANATA, Renato. Sarriá 82: o que faltou ao futebol-arte?. Rio de Janeiro: Maquinaria, 2012.

SALDANHA, João. O trauma da bola: a Copa de 82 por João Saldanha. São Paulo, Cosac & Naify, 2002.

SIMON, Luís. Orelha do livro. In: MORA, Marcelo. Telê e a seleção de 82: da arte à tragédia. São Paulo: Publisher Brasil, 2012.

SOARES, Antônio Jorge; LOVISOLO, Hugo. Futebol: a construção histórica do estilo nacional. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, v. 25, n. 1, 2003, p. 129-143.

TIEPPO, Marcelo. Prefácio. In: MORA, Marcelo. Telê e a seleção de 82: da arte à tragédia. São Paulo: Publisher Brasil, 2012, p. 11-12.

TOSTÃO. Orelha do livro. In: GALLO, Mayrant (org.). 82: uma Copa / 15 histórias. Anajé: Casarão do Verbo, 2013.

VELHO BARRETO, Túlio. Gilberto Freyre e o Futebol-Arte. Revista USP. São Paulo, n. 62, 2004, p. 233-238.

Endereço: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/14059

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.