Arte, Magia e Malandragem: o Imaginário Cantado nas Rodas de Capoeira

Por: Jorge Felipe Fonseca Moreira.

2007 06/12/2007

Send to Kindle


Resumo

Meu primeiro contato com a capoeira, foi aos oito anos de idade, em um passeio com parentes na zona norte do Rio de Janeiro. Até hoje me lembro daquele momento, quando nos deparamos com um coreto no meio da praça, onde havia homens vestidos de branco que ora pareciam lutar ora pareciam bailar ao som de instrumentos musicais. Extasiado com aquele ritmo e com aquele balé marcial, nunca pude precisar o que de fato era aquela manifestação cultural que tanto me impressionara.

Endereço: https://www.dropbox.com/s/fwhhonwi5bul9mr/UGF.00352.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.