As Armas da Crítica à Crítica das Armas: o Trato com o Conhecimento da Categoria Luta Corporal no Currículo de Formação de Professores de Educação Física da UFS

Por: Benedito Carlos Libório Caires Araújo.

183 páginas. 2015 21/05/2015

Send to Kindle


Resumo

A tese apresenta como objeto o estudo do conteúdo Luta/Luta Corporal. Neste particular coloca em debate os sentidos empregados por diferentes correntes para o termo, e tomando como princípio para a pesquisa a perspectiva marxista da suprassunção (aufheben), demonstra as regularidades das Lutas Corporais a fim de uma definição mais precisa para a área. Na abordagem do tema consideramos como referencial teórico o Materialismo Histórico Dialético e como pergunta central: Qual é a realidade e as possibilidades do trato com o conhecimento luta/luta corporal no currículo de formação de professores da universidade pública brasileira, em especial, a universidade federal de Sergipe? No decorrer da tese apontamos algumas das principais mediações que caracterizam o que chamamos de ensino de Lutas Corporais a partir da centralidade do gesto técnico, uma tendência dominante, em meio a qual os conteúdos das lutas tradicionais cedem espaço para os modelos emergentes na grande mídia na forma de Ultimate Fight Championship, Pride, Strikeforce, judô olímpico, taekwondo olímpico etc. estes passam a representar a forma para tratamento do conteúdo, seja na academia ou nas aulas de educação física ou na escola, identificamos ainda que este fenômeno reflete o aprofundamento de uma realidade objetiva excludente, geradora de insegurança, individualismo e alienação, tal realidade, parece fornecer a justificação necessária a um projeto de formação que condicione futuros professores a atender prontamente aos processos de acumulação capitalista, em especial a acumulação flexível e a lógica do mercado, ao desenvolver nelas aptidões tais como: concentração, disciplina, prontidão física (exclusão e subordinação). Quanto ao trato com o conhecimento luta/luta corporal no currículo de formação de professores da universidade federal de Sergipe a investigação do conjunto de 34 resoluções, no período compreendido entre 1974 (data da criação do curso), até 2011 (ano da publicação das últimas resoluções) concluiu que apenas 5 descrevem procedimentos/orientações para o trato do conteúdo Luta Corporal com 11 citações a ementários. Nesse contexto, identificamos, que, mesmo considerando os avanços promovidos pelas últimas resoluções no sentido de superar uma abordagem restritiva, que toma uma modalidade como referência para o ensino do conteúdo Luta Corporal, ainda identificamos a persistência de tendências que privilegiam a concepção dualista de homem, voltadas para a promoção da saúde, do alto rendimento das habilidades motora e estética. Muito distante, portanto, daquilo que preconizamos, a saber: compreender as Lutas Corporais como produtos culturais que contém em si características das relações mais gerais da sociedade capitalista, e suas especificidades no próprio desenvolvimento econômico local, carregando contradições essenciais para análises que fazem e fizeram da luta, uma atividade econômica extremamente importante ao longo da história da humanidade. Por fim, buscamos apresentar uma proposta de trato com o conhecimento Lutas/Lutas Corporais nas aulas de Educação Física, visando elevar o padrão cultural esportivo dos futuros professores de Educação Física do Estado de Sergipe.

Endereço: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/1541

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.