As Atitudes Morais no Esporte de Competição: Um Estudo Descritivo-exploratório com Atletas dos Jogos Coletivos de Invasão

Por: Paulo Henrique Mellender Evangelista.

82 páginas. 2011 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo trata das atitudes morais de atletas juvenis nos Jogos Coletivos de Invasão (JCI): futebol de campo, futsal, basquetebol e handebol. Um dos objetivos desta pesquisa é (a) identificar qual das dimensões atitudinais – empenho, convenção, antidesportivismo ou trapaça – representa as ações mais assumidas declaradamente pelos jovens atletas, de 13 a 16 anos, dos JCI. Os demais objetivos são os seguintes: (b) traduzir e adaptar para a língua portuguesa (Brasil) o Questionário de atitudes no esporte (QAE-23) de Gonçalves et al. (2006); (c) proceder à validade de conteúdo QAE-23; (d) apresentar a ordem hierárquica das dimensões atitudinais, através da análise intrassexo; (e) realizar um estudo comparativo inter- sexo. Para tanto, foi aplicado o QAE-23. As respostas aos itens do QAE-23 foram dadas conforme uma escala de tipo Likert, bidirecional, graduada em cinco pontos, partindo de “discordo firmemente da declaração” (1) a “concordo firmemente com a declaração” (5). A pesquisa contou com a participação de um grupo de 265 atletas. Para cumprir com o segundo objetivo foram realizadas duas traduções independentes por profissionais da área (inglês- português e português-inglês), que asseguraram a melhor tradução e adaptação do QAE-23 para a língua portuguesa (Brasil). Em seguida, procederam-se os estudos sobre a pertinência e a clareza dos itens do QAE-23, a partir dos dados obtidos nas respostas dos juízes- avaliadores. Os resultados dos Coeficientes de validade de conteúdo (CVC), tanto para a pertinência como para a clareza dos itens (entre 0,7 e 0,8 em quatro itens; e superior a 0,8 em 19 itens), asseguraram a validação do conteúdo do QAE-23. Após o cumprimento dessas etapas, o QAE-23 foi submetido às respostas dos 265 atletas para cumprir com os demais objetivos do estudo. As atitudes mais assumidas declaradamente pelos atletas, de maneira geral fazem parte da dimensão empenho, seguida, respectivamente, pela convenção (2o), antidesportivismo (3o), e trapaça (4o). Se considerarmos apenas as respostas dos atletas do sexo masculino, os resultados foram os seguintes: empenho ( 􏲈 = 23,23); seguido por um par de dimensões indissociáveis estatisticamente, convenção ( 􏲈 = 19,89) e antidesportivismo ( 􏲈 = 19,11); e trapaça ( 􏲈 = 16,96). Para as atletas do sexo feminino aparecem: convenção ( 􏲈 = 23,21) e empenho ( 􏲈 = 22,95), indissociáveis estatisticamente, seguidas pelo antidesportivismo ( 􏲈 = 17,50) e trapaça ( 􏲈 = 9,85). A comparação inter-sexo mostrou que a dimensão trapaça está mais evidente no sexo masculino, enquanto que a dimensão convenção está mais evidente no sexo feminino, conforme verificação do valor das médias nos dois grupos. Através dos resultados foi possível concluir que os atletas da referida faixa etária buscam se empenhar ao máximo para obter rendimento durante os treinamentos e competições. Além disso, destaca-se a forma evidente como se expressa a competição no sexo masculino, em razão do destaque dado à dimensão trapaça. Já para as atletas do sexo feminino, a sociabilidade parece ser um aspecto determinante, em razão do destaque dado para as atitudes relacionadas à dimensão convenção. Espera-se que esse estudo possa contribuir para um plano de atividades que priorize o desenvolvimento moral dos atletas. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.