As Crianças e o Futebol em Catingueira - PB: Valores Comunitários Ensinados a Partir do Estádio Vovozão

Por: Antonio Luiz da Silva.

Kinesis - v.36 - n.3 - 2018

Send to Kindle


Resumo

O futebol, como elemento importante da cultura brasileira, tem adesão em todas as gerações, gêneros, posições políticas e classes sociais. Por sua relevância alguns pensadores vêm tomando-o para leituras de várias facetas da nação. Neste artigo, partindo da perspectiva etnográfica, em diálogo interdisciplinar, destacando-o como ferramenta cultural para a formação infantil, refletiremos sobre alguns elementos que as crianças retiram dele para o aprendizado de valores, atitudes e regras importantes para sua comunidade. Concluiremos que à beira do gramado as crianças podem se apropriar de normativas sociais, às vezes reformulando-as, favorecendo assim sua convivência comunitária.

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Marco. B. O esporte como matriz da sociabilidade espontânea: um olhar pelo referencial habermasiano. Revista da ALESDE, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 100-110, setembro, 2011.

AQUINO, Giselle B. O esporte como elemento socializador e formador de crianças e jovens. Revista Científica da Faminas – v. 6, n. 2, maio-ago, 2010.

BERNARDES, Elizabeth Lannes. Jogos e brincadeiras: ontem e hoje. Cadernos de História da Educação - nº. 4 - jan./dez. 2005.

BRANDÃO, Carlos R. Reflexões sobre como fazer trabalho de campo. Cultura e Sociedade, V 10, Nº 1, Jan/Jun, p. 11-27, 2007.

CAVICHIOLLI, Fernando R; CHELUCHINHAK Aline B; CAPRARO, André M; MARCHI JUNIOR, Wanderley; MEZZADRI, Fernando M. O processo de formação do atleta de futsal e futebol: análise etnográfica. Rev. bras. Educ. Fís. Esporte, São Paulo, v.25, n.4, p.631-47, out./dez. 2011.

DAMATA, Roberto. Antropologia do óbvio: Notas em torno do significado do futebol brasileiro. Revista da USP, n. 22. 1994.

DAMO, Arlei S. Do Dom à Profissão: Uma etnografia do futebol espetáculo a partir da formação de jogadores no Brasil e na França. Tese de doutorado (Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. PGAS/UFRS) – Porto Alegre, 2005.

FILGUEIRA, Fabrício M. Objetivos dos pais em relação a prática do futebol na iniciação. R. Min. Educ. Fís., Viçosa, v. 13, n. 1, p. 96-110, 2005.

GASTALD, Édison. Crônicas da pátria amada: futebol e identidades brasileiras na imprensa esportiva. Antropolítica. Niterói, n. 19, p. 147-163, 2. sem. 2005.

GUEDES, Simoni L. Discursos autorizados e discursos rebeldes no futebol brasileiro. Esporte e Sociedade ano 6, n.16, Nov.2010/Fev. 2011.

KESSLER, Cláudia S; ZANINI, Maria Catarina C. O predomínio de masculinidades: narrativas de jogadoras de futebol do interior do Rio Grande do Sul (Brasil) nos anos 1980. Esporte e Sociedade. Ano 8, n 22, set. 2013.

LEÓN, Adriano A. G. Bola no pé e caneta na mão: futebol e direito em busca do falo perdido. Política & Trabalho (UFPB. Impresso), v. 1, p. 25-38, 2009.

MORO, Marie Rose. Grandir en situation transculturelle. Temps d’Arreter Lectures. Bruxelles: Yapaka.be. 2010.

MUDADO, Tereza H. A brincadeira como educação da vontade: cumprir as regras é a fonte de satisfação. Revista Virtual de Gestão de Iniciativas Sociais. Nº 11. Junho. 2008.

NEGRINE, Airton. Concepção de jogo em Vygotsky: Uma perspectiva pedagógica. Movimento - Ano 2 - N. 2 – Junho, 1995.

PIAGET, Jean. O Juízo Moral na Criança. Trad. Elzon Lenardon. São Paulo: Summus, 1994.

PIMENTA, Carlos Alberto M. Violência entre torcidas organizadas de futebol. São Paulo Perspectiva. vol.14, n.2, pp. 122-128, 2000.

PINTO, Tatiana O; LOPES, Maria de Fátima. Brincadeira no espaço da rua e a demarcação dos gêneros na infância. Rev.latinoam.cienc.soc.niñez. juv 7(2): 861-885, 2009.

REIS, Davi Lucas C. A criança na iniciação ao Futebol. (Monografia) Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Belo Horizonte – MG: Universidade Federal de Minas Gerais, 2010.

RIAL, Carmen. Fronteiras e zonas na circulação global dos jogadores brasileiros de futebol. Antropologia em Primeira Mão: 109/2009:1-24. PPGAS/UFSC, 2009.

SILVA, Antonio L. Jogando pelas beiradas: sobre o vivido de meninos e homens num estádio de futebol em Catingueira – PB. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 22, p. 103-117.

SILVA, Antonio L. Ao som dos “palavrões e nomes feios”: A inserção das crianças no universo do futebol amador em Catingueira – PB. Esporte e Sociedade, ano 10, n 24, Março (2015).

SILVA, Antonio L. O sertão para além da estética da boniteza da dor: Reflexões a partir de Catingueira – PB. InterEspaço, Grajaú/MA v. 3, n. 9 p. 66-87 maio/ago (2017). SOUZA, Camilo Araújo M; VAZ, Alexandre F; BARTHOLO, Tiago L; SOARES, Antonio Jorge G. Difícil reconversão: futebol, projeto e destino em meninos brasileiros. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 14, n.30, p.7-17, 85-111, 2008.

VARGAS, Ângelo L. Souza; GALVÃO, Ana Lídia O. A construção do humano através do esporte como um direito inalienável. Fitness & performance jornal, nº. 4, pp. 262-267. 2007.

VIGOTSKI, Lev S. A brincadeira e o seu papel no desenvolvimento psíquico da criança. Trad. Zoia Prestes. Revista Virtual de Gestão de Iniciativas Sociais, nº 11, junho, 2008.

Endereço: http://dx.doi.org/10.5902/2316546431403

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.