As Relações com os Saberes na Educação Física Escolar: o Que Ex-alunos Têm Para Compartilhar com Uma Professora-pesquisadora?

Por: L. Venâncio.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

A escola é um local no qual pessoas ensinam e aprendem. Podemos pressupor que a atribuição de sentidos esteja vinculada às relações com os saberes que os sujeitos estabelecem durante o período de escolarização. Nessa direção alguns questionamentos são necessários: Qual o sentido do aluno aprender Educação Física na escola? Quais relações os alunos estabelecem com os saberes da Educação Física quando se mobilizam para aprender? Os objetivos desse trabalho foram: apresentar os significados e sentidos que um grupo singular de ex-alunos atribuíram às suas relações com os saberes elaborados com e nas aulas de Educação Física; expor a análise e interpretação dos saberes elaborados pelos exalunos com e nas aulas de Educação Física; explicitar a interpretação a respeito do que é o saber com e na Educação Física na perspectiva dos ex-alunos. O quadro teórico foi construído, aprofundado e ampliado à luz da convergência da teoria da noção de relação com o saber, baseada em Bernard Charlot, os saberes necessários para uma prática educativa crítica e emancipatória, propostos por Paulo Freire e o tratamento pedagógico esperado na proposição CríticoEmancipatória e no conceito do Se-Movimentar, defendidos por Elenor Kunz. Este trabalho, de natureza qualitativa, tratou uma realidade concreta e singular e que nos exigiram meios criativos e rigorosos para encontrar algumas respostas válidas. Explicitamos as escolhas metodológicas para abordar as realidades por meio de: narrativas de experiências, grupos focais e entrevistas de explicitação. Duas etapas foram organizadas. Na primeira etapa participaram 24 sujeitos, na faixa etária entre 17 e 19 anos. Todos foram ex-alunos de uma mesma professorapesquisadora entre 2005 e 2008, em uma escola pública municipal de ensino fundamental de São Paulo. Na segunda etapa participaram 13, dos 24 ex-alunos, que discutiram e analisaram 69 frases e suas possíveis relações com os saberes a partir das vivências e experiências que tiveram com e na Educação Física. A discussão dos resultados trouxe questionamentos a respeito de questões não aprofundadas pelos autores destacados no referencial teóricos sintetizadas em13 perspectivas: obrigação de aprender, autonomia, aprender para a vida, compartilhar dificuldades, vergonha, uso do corpo, uso de gestos, aluno crítico, modo de ensino, sensibilidade e sabedoria, individualidade e subjetividade, escolhas e avaliação e, experiências. Consideramos a partir das perspectivas dos sujeitos e suas relações com os saberes para a necessidade do campo investigativo da Educação Física tomar os alunos como sujeitos que identificam, percebem e compreendem, analisam e criticam a forma como alguns saberes lhes são apresentados durante a escolarização, e também como são capazes de elaborar seus próprios saberes. O que se configurou, portanto, é que existe na escola um espaço-tempo chamado "Educação Física", no qual diferentes sujeitos vivenciaram acontecimentos relacionais que promoveram outras perspectivas para além do "não mais sem sentido" e do "ainda não suficiente". O processo educacional-escolar na Educação Física, para os sujeitos, foi marcado pela superação da vivência em si em direção do saber com.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.