As Relações das Meninas com os Saberes das Lutas nas Aulas de Educação Física

Por: Marcos Roberto So, e .

Motrivivência - v.30 - n.56 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Com base na teoria da “relação com o saber” de Bernard Charlot, esta investigação teve como objetivo analisar as relações de sentido e a mobilização das meninas com os saberes das lutas. Para tanto, este estudo utilizou: (i) observação de aulas do conteúdo judô em uma turma do 7º ano do Ensino Fundamental; e (ii) entrevistas semiestruturadas com 17 alunos da turma. Os resultados indicaram menor mobilização das meninas em comparação aos meninos. Os elementos desfavoráveis à mobilização feminina foram separados em três categorias: (i) a masculinização e o machismo na luta; (ii) o medo de se machucar; (iii) vergonha de se expor. Ressaltar as dificuldades do tema gênero e lutas não significa descartá-las do processo pedagógico, por isso, concluímos o artigo apontando a criação de experiências que subvertam e transgridam tais barreiras.

Referências

ALTMANN, H. Rompendo fronteiras de gênero: Marias (e) homens na educação física. 1998. 111f. Dissertação (Mestrado em Educação) -Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1998.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. O método nas ciências sociais. In: ALVES-MAZZOTTI, J. A.; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. 2ª ed. São Paulo: Pioneira, 1999. Parte II, p. 107-188.

BETTI, Mauro; USHINOHAMA, Tatiana Zuardi. Os saberes da Educação Física nas perspectivas dos alunos: panorama da literatura e uma proposta de investigação a partir da ‘teoria da relação com o saber’. Revista Pulsar. Jundiaí, v.6 n.4, p.1-18, 2014.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Ed. Civilização Brasileira, 7ª Ed. 2014.

CHARLOT, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artmed, 2000.

CHARLOT, B. Os jovens e o saber: perspectivas mundiais. Porto Alegre: Artmed, 2001.

CORREIA, W. R.; FRANCHINI, E. Produção acadêmica em lutas, artes marciais e esportes de combate. Motriz, Rio Claro, v. 16, p. 1-9, 2010.

DEEM, R.; GILROY, S. Physical Activity, Life---long Learning and Empowerment — Situating Sport in Women’s Leisure. Sport, Education and Society, v. 3, n. 1, p. 89–104, 1998.

DORNELLES, P. G.; FRAGA, A. B. Aula mista versus aula separada? Uma questão de gênero recorrente na educação física escolar. Revista brasileira de docência, ensino e pesquisa em educação física, Cristalina, v. 1, n. 1, p. 141–156, 2009.

FERNA FERNANDES, V.; MOURÃO, L. “Menina De Ouro” E A Representação De Feminilidades Plurais. Movimento (ESEFID/UFRGS), v. 20, n. 4, p. 1611–1629, 2014.

FERNANDES, V.; MOURÃO, L.; GOELLNER, S. V.; GRESPAN, C. L. Mulheres em combate: representações de feminilidades em lutadoras de Boxe e MMA. Journal of Physical Education, v. 26, n. 3, p. 367–376, 2015.

FERRETTI, M. A. C. A formação da lutadora: estudo sobre mulheres que praticam modalidades de luta. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

FOUCAULT, M. Vigiar e Punir. São Paulo, editora vozes, 40 ed. 2013.

GOELLNER, S. V. Feminismos, mulheres e esportes: questões epistemológicas sobre o fazer historiográfico. Movimento (ESEF/UFRGS), v. 13, n. 2, p. 173–196, 2007.

GOELLNER, S. V. A educação dos corpos, dos gêneros e das sexualidades e o reconhecimento da diversidade. Cadernos de Formação RBCE, v. 1, n. 2, 2010.

JESUS, M. L. D.; DEVIDE, F. P. Educação física escolar, co-educação e gênero: mapeando representações de discentes. Movimento, Porto Alegre, v.12, n.3, p 123-140, set/dez, 2006.

NASCIMENTO, Paulo R. Barbosa do; ALMEIDA, Luciano. A tematização das lutas na Educação Física escolar: restrições e possibilidades. Movimento, Porto Alegre, v.13, n.3, p.91-110, set/dez 2007.

OLIVEIRA, R. C. DE; DAOLIO, J. Na periferia da quadra: educação física, cultura e sociabilidade na escola. Pro-Posições, Campinas, vol. 25, n. 2, 2014.

RUFINO, Luiz Gustavo Bonatto; DARIDO, Suraya Cristina. O ensino das lutas nas aulas de Educação Física: análise da prática pedagógica à luz de especialistas. Revista de Educação Física/UEM, v.26, n.4, p.505-518, 4 trim. 2015.

SALVINI, L.; JÚNIOR, W. M. Mais Do Que Uma “Questão De Peso”: Análise Do Conteúdo Dos Discursos De Rivalidade Entre As Lutadoras De MMA. Movimento (ESEFID/UFRGS), v. 22, n. 3, p. 795–808, 2016.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil para os estudos históricos. Educação E Realidade, v. 16, n. 2, 5–22, 1990.

SILVA, B. B. P. O.; CAVICHIOLLI, F. R.; CAPRARO, A. M. Adesão e permanência de mulheres no boxe em Curitiba-PR. Motrivivência, v. 27, n. 45, p. 124–137, 2015.

SO, M.R. Lutas na Educação Física Escolar: relação entre conteúdo, pedagogia e currículo, Lecturas: Educación Fisica y Deportes (Revista Digital), Buenos Aires, v. 17, n. 178, mar. 2013.

UCHOGA, L. A. R.; ALTMANN, H. educação física escolar e relações de gênero: diferentes modos de participar e arriscar-se nos conteúdos de aula. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 38, n. 2. 2016.

CHAN-VIANNA, A.J., MOURA, D. L.; MOURÃO, L. Educação Física, gênero e escola: uma análise da produção acadêmica. Movimento. Porto Alegre, v.16, n.2, p.149-164, abr/jun, 2010.

WACQUANT, L. Corpo e alma: notas etnográficas de um aprendiz de boxe. Rio de Janeiro: Relume Dumará, v. 41, 2002.

WENETZ, I; STIGGER, M. P. A construção do gênero no espaço escolar. Movimento. Porto Alegre, v.12, n.01, p.59-80, jan/abr 2006.

Endereço: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2018v30n56p29

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.