Aspectos Neurobiológicos e Comportamentais Relacionados às Assimterias Manuais

Por: Lidiane Aparecida Fernandes.

89 páginas. 2020 15/01/2020

Send to Kindle


.Resumo

A assimetria de desempenho é caracterizada pela diferença no controle dos segmentos corporais contralaterais homólogos, que se manifestam em distintos aspectos da motricidade. As diferenças observadas no desempenho das mãos têm sido atribuídas principalmente aos fatores biológicos. Dentre esses fatores, a comunicação hemisférica e as características do controle motor das mãos foram os focos de investigação da presente tese. Desta forma, este estudo teve como objetivo analisar as características do controle do movimento das mãos e a comunicação entre os hemisférios cerebrais associados ao comportamento das assimetrias manuais. Essas questões foram investigadas em uma tarefa de apontamento, partindo da análise do controle do movimento por meio do modelo de Woodworth e integração de novas medidas que dizem respeito à qualidade espacial do movimento. Foram utilizados o Inventário de Dominância Lateral de Edimburgo, um instrumento de estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) e um sistema de eletroencefalografia (EEG). O delineamento do estudo foi composto por três condições de aplicação de ETCC (excitação, inibição e placebo), intervaladas por 48 horas. Cada condição foi composta por fase de pré-teste, condição de estimulação e pós-teste. O EEG foi utilizado nas três condições durante os momentos do pré e pós-teste. A ordem de início das mãos e condições de estimulação foram randomizadas entre os participantes. Foram avaliadas as medidas comportamentais e neurobiológicas (análise de coerência-Coh). Para análise dos dados foi calculada em cada condição a assimetria, através do percentual da diferença entre as mãos direita (MD) e esquerda (ME) [|(MD - ME)|*100/(MD - ME)]. Os valores da assimetria e os valores relativos às mãos, foram normalizados em função dos valores do pré-teste. Foram utilizadas ANOVA One-way (IHD x IHND x PL) e ANOVA two-way (Condição x Mão) com medidas repetidas. Para as análises post-hoc foi utilizado o teste de Fisher. Para as análises não-paramétricas foram realizados testes de Friedman. Para análises post-hoc foi adotado o teste de Wilcoxon com correção de Bonferroni (p≤ 0,01). O valor de significância adotado foi de p≤0,05. Os resultados apontam que independente da direção da modulação no córtex motor primário (M1) a comunicação inter-hemisférica gerou mudanças nas assimetrias, mais precisamente, para as variáveis temporais do movimento. A modulação não alterou no comportamento das assimetrias nos processos de controle motor, mas observou-se que de alguma forma as mudanças nas assimetrias de tempo de movimento e tempo de resposta estão relacionadas às mudanças nas assimetrias no pico de velocidade. Dessa forma, é possível inferir que a estimulação/inibição do M1 apresenta especificidades em relação às assimetrias nas variáveis de desempenho. Essas especificidades devem ser melhor compreendidas com a condução de futuros estudos que utilizem delineamentos adequados para esse escopo. O comportamento da comunicação inter-hemisférica foi alterado entre as condições de estimulação para o momento de execução do movimento. É possível especular que a modulação altera o comportamento da comunicação inter-hemisférica nas diferentes condições, mas não é capaz de modificar a comunicação no sentido de suprimir as diferenças da comunicação para o movimento realizado com a ME.

Endereço: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.xhtml?popup=true&id_trabalho=10614550

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.