Associação do Ambiente Construído e Percebido com a Caminhada em Idosos de Florianópolis: Estudo Populacional

Por: Maruí Weber Corseuil Giehl.

196 páginas. 2014 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Pesquisas sobre a relação do ambiente com a atividade física em idosos no Brasil são escassas. As características do ambiente nos quais as pessoas residem, bem como suas percepções sobre estas, podem desempenhar papel importante na adoção de comportamentos ativos. O presente estudo investigou as associações entre a percepção do ambiente e, variáveis objetivas do ambiente construído com a prática da caminhada no lazer e como forma de deslocamento em idosos de Florianópolis, SC. Realizou-se estudo transversal, de base populacional, com 1.705 indivíduos (60 anos ou mais) residentes na área urbana do município. A amostra foi selecionada em dois estágios (setores censitários e domicílios). Características sociodemográficas e referentes às condições de saúde, e aquelas relacionadas à percepção do ambiente (versão adaptada da Neighborhood Environment Walkability Scale – NEWS) foram avaliados por medidas autorreferidas. Para elaborar as variáveis objetivas do ambiente construído foi utilizado Sistema de Informação Geográfica (SIG), com dados obtidos do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF) e do Censo 2010. A caminhada como forma de deslocamento e a caminhada no lazer foram mensuradas por meio do International Physical Activity Questionnaire (IPAQ). A associação entre as características individuais e da percepção do ambiente com a prática de caminhada foram verificadas por meio da regressão logística multinomial. As associações entre a caminhada com as variáveis objetivas do ambiente construído foram mensuradas por meio de análise de regressão logística multinível. Observou-se que, quantos as variáveis percebidas do ambiente, a caminhada no deslocamento foi associada à percepção de calçadas em boas condições, de parques e instalações de lazer no bairro, segurança em relação ao trânsito e durante o dia e ruas bem iluminadas. A presença de calçadas em boas condições, a percepção de segurança durante o dia e receber o apoio social da família e de amigos para praticar atividade física foram fatores positivamente associados à caminhada no lazer. Em relação às variáveis objetivas do ambiente, observou-se que idosos residentes em setores com maior densidade populacional, maior conectividade de ruas, maior percentual de calçadas e de ruas pavimentadas tiveram maiores chances de caminhar como forma de deslocamento. Apenas a renda do setor e a densidade de ruas se associaram com a caminhada no lazer. O presente estudo sugere que tanto características percebidas do ambiente, quanto as objetivas, estão associadas com a prática de caminhada em idosos de Florianópolis, SC, e que essas associações são específicas para cada tipo de caminhada. Esses resultados demonstram que ambientes bem planejados e com infraestrutura adequada podem desempenhar um papel importante nos comportamentos de saúde, como a caminhada, em idosos.

Endereço: http://ppgsc.ufsc.br/

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.