Associação de Comportamento Sedentário com Sobrepeso e Obesidade Abdominal em Idosos

Por: Álvaro da Silva Santos, Jeffer Eidi Sasaki, , Renata Damião e Talita Inácio Martins Resende.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.24 - n.1 - 2019

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi examinar a associação entre o comportamento sedentário e o excesso de peso e a obesidade abdominal em idosos. Trata-se de um estudo transversal com idosos de ambos os sexos, residentes nos municípios da Superintendência Regional de Saúde de Uberaba, Minas Gerais. O comportamento sedentário foi avaliado pelo tempo despendido, localizado no dia da semana e no dia final da semana. A massa corporal, estatura e circunferência da cintura foram aferidas. O excesso de peso foi determinado por meio do índice de massa corporal e obesidade abdominal pela circunferência da cintura. Na estatística, utilize análises de regressão de Poisson com variância robusta. Participaram do estudo 3.223 idosos, com média de idade de 70 ± 7,26 anos, sendo 61,3% de mulheres. Quando realizadas alterações ajustadas pelas variáveis ​​sociodemográficas, percepção de saúde e comportamentais, não foram verificadas alterações entre os quartis de comportamento sedentário com excesso de peso (2º quartil: RP = 0,99; IC95%: 0,94–1,05; 3º quartil: RP = 0,99; IC95%: 0,93–1,07; 4º quartil: RP = 1,07; IC95%: 1,00–1,13) e obesidade abdominal (2º quartil: RP = 1 , 04; IC95%: 1,00–1,08; 3º quartil: RP = 1,03; IC95%: 0,98–1,08; 4º quartil: RP = 0,98; IC95%: 0,94– 1,03) O comportamento sedentário não está associado ao excesso de peso e à obesidade abdominal em idosos. 13) e obesidade abdominal (2º quartil: RP = 1,04; IC95%: 1,00–1,08; 3º quartil: RP = 1,03; IC95%: 0,98–1,08; 4º quartil: RP = 0,98; IC95%: 0,94–1,03). O comportamento sedentário não está associado ao excesso de peso e à obesidade abdominal em idosos. 13) e obesidade abdominal (2º quartil: RP = 1,04; IC95%: 1,00–1,08; 3º quartil: RP = 1,03; IC95%: 0,98–1,08; 4º quartil: RP = 0,98; IC95%: 0,94–1,03). O comportamento sedentário não está associado ao excesso de peso e à obesidade abdominal em idosos.

Referências

Matthews CE, Chen KY, Freedson PS, Buchowski MS, Beech BM, Pate RR, et al. Quantidade de tempo gasto em comportamentos sedentários nos Estados Unidos, 2003–2004. Am J Epidemiol. 2008; 167: 875-81.

Rezende LF, Rey-López JP, Matsudo VK, Carmo Luiz O. Comportamento sedentário e resultados de saúde em idosos: uma revisão sistemática. BMC Saúde Pública. 2014; 14: 333.

Camilo BF, Resende TIM, Moreira ÉFA, Damião R. Comportamento sedentário e estado nutricional em idosos: uma metanálise. Rev Bras Med Esporte. 2018; 24 (4): 310-15.

Organização Mundial da Saúde. Estratégia global sobre dieta, atividade física e obesidade e sobrepeso. Março de 2011.

Organização Mundial da Saúde. Obesidade: Prevenindo e Gerenciando a Epidemia Global. Relatório de uma Consulta da OMS sobre Obesidade, Genebra, 1998.

Nascimento CM, Ribeiro AQ, Cotta RMM, Acurcio FA, Peixoto SV, Priore SE, et al. Estado nutricional e fatores associados em idosos do município de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Cafajeste. Saúde Pública. 2011; 27: 2409-18.

Bassler TC, Lei DLM. Diagnóstico e monitoramento da situação nutricional da população idosa no município da região metropolitana de Curitiba (PR). Rev Nutr. 2008; 21: 311-21.

Saunders TJ, Tremblay MS, Després JP, Bouchard C, Tremblay A, Chaput JP. Comportamento sedentário, acúmulo de gordura visceral e risco cardiomatabólico em adultos: um Sutdy longitudinal de 6 anos do estudo da família Quebec. PLoS One. 2013; 8: 54225.

Chodzko-zajko WJ, Proctor DN, Fiatarone Singh MA, Minson CT, Nigg CR, Salem GJ, et al. Exercício e atividade física para idosos; pelo Colégio Americano de Medicina Esportiva. Med Sci Sports Exerc. 2009; 41: 1510-30.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2011. [citado em 03 ago 2013]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/resultados_preliminares/preliminar_tab_municipio_zip.shtm

Bertolucci PHF, Brucki SMD, Campacci SR, Juliano Y. O Mini-Exame do Estado Mental em uma população geral: impacto da escolaridade. Arq Neuropsiquiatr. 1994; 52: 1-7.

Lino VTS, Pereira SRM, Camacho LAB, Ribeiro Filho ST, Buksman S. Adaptação transcultural da Escala de Independência em Atividades da Vida Diária (Escala de Katz). Cad Saúde Pública. 2008; 24: 103-12.

Rosenberg DE, Bull FC, Marshall AL, Sallis JF, Bauman AE. Avaliação do comportamento sedentário com o Questionário Internacional de Atividade Física. J Phys Act Health. 2008; 1: 30-44.

Organização Mundial da Saúde. Dieta, nutrição e a prevenção de doenças crônicas. Genebra: Organização Mundial da Saúde, 2002.

Organização Mundial da Saúde. Circunferência da cintura e razão cintura-quadril: relatório de uma consulta de especialistas da OMS. Genebra, 2008.

Mielke GI, Hallal PC, Malta DC, Lee IM. Tendências temporais de atividade física e tempo de exibição de televisão no Brasil: 2006-2012. Int J Behav Nutr Phys Act. 2014; 11: 101.

Mielke GI, Silva IC, Owen N, Hallal PC. Comportamentos sedentários de adultos brasileiros por domínio da vida: estudo de base populacional. PloS One. 2014; 9: e91614.

Virtuoso Júnior JS, Tribess S, Rocha SV, Sasaki JE, Garcia CA, Meneguci J, et al. Comportamento sedentário como preditor de incapacidade funcional em idosos. Rev Bras Ati Fis Saúde. 2018; 23: e0010.

Hamer M, Weiler R, Stamatakis E. Assistindo esporte na televisão, atividade física e risco de obesidade em idosos. BMC Saúde Pública. 2014; 14: 10.

Healy GN, Dunstan DW, Salmon J, Cerin E, Shaw JE, Zimmet PZ, Owen N. Quebras no tempo sedentário: associações benéficas com risco metabólico. Diabetes Car.2008; 31: 661-6.

Shuval K, Leonard T, Murdoch J, Caughy MO, Kohl HW 3rd, Skinner CS. Comportamentos sedentários e obesidade em uma população de baixa renda e minorias étnicas. J Phys Act Health. 2013; 10: 132-6.

Inoue S, Sugiyama T, Takamiya T, Oka K, Owen N, Shimomitsu T. O tempo de exibição da televisão está associado ao sobrepeso / obesidade entre os idosos, independentemente de cumprir as diretrizes de atividade física e saúde. J Epidemiol. 2012; 22: 50-6.

Gennuso KP, Gangnon RE, Matthews CE, Thraen-Borowski KM, Colbert LH. Comportamento sedentário, atividade física e marcadores de saúde em idosos. Med Sci Sports Exerc. 2013; 45: 1493-500.

Du H, Bennett D, Li L, Whitlock G, Guo Y, Collins R, et al. Atividade física e lazer sedentário e suas associações com IMC, circunferência da cintura e porcentagem de gordura corporal em 0,5 milhão de adultos: o estudo China Kadoorie Biobank. Am J Clin Nutr. 2013; 97: 87–96.

Wijndaele K, Healy GN, Dunstan DW, Barnett AG, Salmon J, Shaw JE, et al. O aumento do risco cardio-metabólico está associado ao aumento do tempo de exibição da TV. Med Sci Sports Exerc. 2010; 42: 1511-8.

Diaz KM, Howard VJ, Hutto B, Colabianchi N, Vena JE, Safford MM, et al. Padrões de comportamento sedentário e mortalidade em adultos de meia-idade e idosos dos EUA: um estudo de coorte nacional. Ann Intern Med. 2017; 167 (7): 465-75.

Bann D, Contrate D, Manini T, Cooper R, Botoseneanu A, McDermott MM, et al. Atividade física de intensidade leve e comportamento sedentário em relação ao índice de massa corporal e força de preensão em idosos: resultados transversais do estudo sobre intervenções no estilo de vida e independência para idosos (LIFE). Plos One. 2015; 10: 1-13.

Pulsford RM, Stamatakis E, Britton AR, Brunner EJ, Hillsdon MM. Comportamento sentado e obesidade: evidências do estudo Whitehall II. Am J Prev Med. 2013; 44: 132-8.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Despesas do Consumidor 2008-2009: Antropometria e Estado Nutricional de Crianças, Adolescentes e Adultos no Brasil. Rio de Janeiro; 2010. [citado em 22/02/2017]. Disponível em: http: // https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv45419.pdf .

Thorp AA, Owen N, Neuhaus M, Dunstan DW. Comportamentos sedentários e subsequentes resultados de saúde em adultos: uma revisão sistemática de estudos longitudinais, 1996-2011. Am J Prev Med. 2011; 41: 207-15.

Endereço: http://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/13971

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.