Associação Entre Aptidão Cardiorrespiratória e Fatores de Risco Cardiovascular em Adolescentes de Londrina/PR

Por: Mariana Souza Carnelossi.

2012 04/10/2011

Send to Kindle


Resumo

As modificações no estilo de vida de crianças e adolescentes têm favorecido o desenvolvimento de sobrepeso/obesidade e de inúmeras disfunções crônico-degenerativas em idades cada vez mais precoces. Nesse contexto, a aptidão cardiorrespiratória tem sido considerada um importante fator de proteção à saúde populacional. O propósito da presente investigação foi verificar a associação entre aptidão cardiorrespiratória e fatores de risco cardiovascular em adolescentes do município de Londrina/PR. Para tanto foram investigados 888 adolescentes, de 11 a 15 anos, matriculados em escolas da zona urbana do município. Como indicadores dos fatores de risco foram analisados a gordura corporal, níveis elevados de pressão arterial, concentrações não favoráveis de lipídios-lipoproteínas plasmáticas e valores glicêmicos elevados. Medidas antropométricas também foram mensuradas para estimativa da composição corporal e da maturação biológica. A aptidão cardiorrespiratória foi obtida pelo teste de shuttle run de 20 metros e o VO2pico estimado pela equação sugerida por Léger et al (1988). A análise de regressão logística binária foi utilizada para verificar a associação entre as variáveis. Os resultados mostraram associação do VO2pico com a obesidade (OR=6,67), triglicérides (OR=2,42) e HDL (OR=1,92). Quando a gordura corporal foi considerada na análise, associações significativas foram constatadas para os valores de HDL-C no grupo alta gordura/baixa ACR (OR= 3,88) e no grupo alta gordura/alta ACR (OR= 4,09). Já para os demais fatores de risco cardiovascular; LDL-C, triglicérides e PAE; associação significante foi evidenciada apenas no grupo alta gordura/baixa ACR (OR de 1,80; 6,58 e 1,58; respectivamente). Nos demais grupos não houve associação significante. Tais resultados mostram que a ACR e a adiposidade corporal apresentam um efeito simultâneo, ou seja, associado, com os fatores de risco cardiovascular (LDL-C, triglicérides e PAE). Efeito isolado da gordura foi observado apenas no HDL-C. A ACR não apresentou independência para nenhum fator, no entanto, ela não foi apenas mediadora do processo, mas atuante, assim como a gordura corporal.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000181694

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.