Associação Entre Nível de Atividade Física, Nitrito Salivar e Fatores de Risco Cardiovascular em Adolescentes Portadores de Variantes Comuns dos Genes Fto e Eca

Por: José Fernando Vila Nova de Moraes.

2014 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

A prevalência de obesidade tem aumentado abruptamente nos últimos 30 anos e diversos mecanismos têm sido associados a este incremento. Desde 2007, com a descoberta do polimorfismo do SNP (single nucleotide polymorphism) rs9939609 do gene FTO (Fat mass and obesity associated), a genética tem tido um papel fundamental neste cenário. A hipertensão arterial, por sua vez, é um dos fatores associados ao excesso de peso e também possui carga genética, por meio do polimorfismo do SNP rs4646994 do gene da ECA (Enzima Conversora de Angiotensina). Ademais, indivíduos obesos possuem menor biodisponibilidade de Óxido Nítrico, um importante dilatador dos vasos. O objetivo do presente estudo foi analisar e associar o nível de atividade física, nitrito salivar e fatores de risco cardiovascular em adolescentes portadores dos diferentes genótipos do FTO e da ECA. Para isso, 220 adolescentes do sexo masculino (16,27±1,31 anos; 64,25±12,45 kg; 173,43±6,71 cm; 21,28±3,55 kg/m²) foram submetidos a uma avaliação antropométrica, genotipagem dos polimorfismos do FTO e da ECA, mensurações de pressão arterial e nitrito salivar antes e após a realização de um teste estressor chamado Cold Pressor Test e responderam um questionário de nível de atividade física. Os resultados revelaram uma prevalência de sobrepeso/obesidade de 17,1% (n=37), pressão arterial de repouso elevada de 16,0% (n=26), e hiper-reatividade ao Cold Pressor Test de 33,7% (n=55). Os indivíduos homozigotos para o alelo A do FTO, quando comparados aos homozigotos para o alelo T, apresentaram valores significativamente elevados de Escore-Z de IMC por idade (0,38±1,01 vs. -0,29±1,15), razão cintura-estatura (0,44±0,04 vs. 0,42±0,04) e circunferência da cintura (77,15±6,51 vs. 72,85±7,36 cm). Adicionalmente, a presença do alelo A do FTO esteve associada a um risco 83% maior de excesso de peso nos adolescentes. A presença do alelo D do gene da ECA, por sua vez, associou-se com um risco 50% maior de pressão arterial de repouso elevada. A realização do Cold Pressor Test promoveu aumentos significativos na pressão arterial dos indivíduos com excesso de peso em relação aos com peso normal (para pressão arterial sistólica em repouso: 129,26±13,04 vs. 118,53±11,88 mmHg; durante: 147,56±21,61 vs. 130,54±17,94 mmHg; e um minuto após: 135,70±17,55 vs. 119,58±14,13 mmHg; para pressão arterial diastólica em repouso: 73,18±7,63 vs. 68,67±8,73 mmHg; durante: 88,88±14,62 vs. 82,26±12,92; e um minuto após: 78,26±10,70 vs. 70,69±9,90 mmHg). Além disso, indivíduos com excesso de peso apresentaram 2,80 vezes mais chances de serem hiper-reativos ao Cold Pressor Test. A concentração de nitrito salivar diminuiu significativamente após o Cold Pressor Test (108,14±4,76 vs. 83,39±3,08 μM), este comportamento se repetiu nos diversos genótipos do FTO e ECA. Por fim, não foram encontradas diferenças significativas entre o nível de atividade física e o perfil antropométrico e respostas da pressão arterial entre os indivíduos. Conclui-se que os indivíduos carreadores do alelo A do gene FTO estão em maiores riscos de apresentarem sobrepeso/obesidade, enquanto que os carreadores do alelo D da ECA possuem chances aumentadas de possuírem valores elevados de pressão arterial em repouso.

Endereço: http://www.bdtd.ucb.br/

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.