Associação Entre Obesidade, Risco de Quedas e Medo de Cair em Mulheres Idosas

Por: Ana Luiza Matias Correia, André Bonadias Gadelha, Juscélia Cristina Pereira, , Ricardo Moreno Lima e Silvia Gonçalves Ricci Neri.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.19 - n.4 - 2017

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo transversal foi verificar a associação entre obesidade, risco de quedas e medo de cair em mulheres idosas. Duzentas e vinte e seis voluntárias (68,05 ± 6,22 anos; 68,06 ± 11,79 kg; 1,56 ± 0,06 m) foram classificadas em eutróficas, sobrepesadas ou obesas, de acordo com o índice de massa corporal. O risco de quedas e o medo de cair foram mensurados por meio do QuickScreen Clinical Falls Risk Assessment e da Escala de Eficácia de Quedas – Internacional (FES-I), respectivamente. Para comparação entre grupos, empregaram-se os testes Qui-quadrado e ANOVA One-way. O nível de significância adotado foi de p< 0,05. A obesidade foi associada a uma probabilidade de quedas aumentada (p< 0,001), o que pode ser parcialmente explicado pela diminuição da força muscular (p< 0,001) e do tempo de reação (p< 0,001). Adicionalmente, observou-se diferença significativa entre os grupos no escore da FES-I (p< 0,01), sendo que as idosas obesas exibiram um medo de cair mais acentuado (30,10 ± 8,4) que as eutróficas (25,33 ± 7,11; p< 0,01) e as sobrepesadas (26,97 ± 7,05; p< 0,05). Esses achados se agregam a evidências prévias que apontam a obesidade como um importante fator de risco para quedas em idosos. Portanto, profissionais da saúde devem considerar os efeitos do excesso de peso ao lidar com prevenção de quedas. 

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2017v19n4p450

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.