Associação Entre Percepção do Ambiente Urbano e o Comportamento em Relação à Atividade Física no Lazer e Deslocamento

Por: .

115 páginas. 2010 21/09/2010

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi identificar pela percepção do ambiente físico e social, quais são as características associadas a não atender as recomendações em relação à atividade física (NARAF), na atividade física no lazer (AFL) e deslocamento (AFD) em adultos. Objetivos específicos: 1- Estimar a prevalência de NARAF e fatores associados à atividade física total (AFT), à AFL e à AFD; 2- Identificar as características do ambiente físico e social percebidas, associadas à NARAF, nas AFL e AFD na população em geral; 3- Identificar as características do ambiente físico e social percebidas associadas à NARAF, nas AFL e AFD em homens e mulheres. Método: Amostra sistemática, por lista telefônica em seis bairros da região continental de Florianópolis SC. Questionário internacional de atividade física (IPAQ) versão longa e a Escala de mobilidade ativa no ambiente comunitário (News, adaptado). Os desfechos investigados foram: NARAF, nas AFL, nas AFD e na AFT. Como variáveis exploratórias foram investigadas as características sócio-demográficas, percepção do ambiente, saúde e índice de massa corporal. Análise de regressão de Poisson para verificar a razão de prevalência e análise de regressão logística para estimar as razões de chance bruta e múltipla dos atributos do ambiente físico e social das pessoas que NARAF. Resultados: Amostra de 746 indivíduos e 91% de taxa de resposta; 57,7 % sexo feminino; 49,0% nível superior; 58,6% casados; 76% de pele branca; 12,2% de obesos, 33% com sobrepeso e 54,8% eutróficos; 17,5% fumavam; 22,9% referiam estado de saúde negativo; Objetivos específicos: 1- a prevalência de NARAF nas AFT foi de 40,4%, sendo, 35,4% nos homens e 44,1% nas mulheres. Nas AFD, a prevalência de NARAF foi de 72,4% sendo 71,1% nos homens e 73,3% nas mulheres. Nas AFL a prevalência de NARAF foi de 77,0% , sendo 74,9% nos homens e 78,4% nas mulheres. Nas AFD e AFL não houve diferenças significativas para NARAF em nenhuma das variáveis estudadas. Na AFT a escolaridade de 1º grau, foi associada à NARAF comparado ao 2º grau e nível superior. Na AFT, ter saúde negativa foi associado à NARAF. 2- os atributos do ambiente urbano associados a menor chance de NARAF nas AFD, no modelo múltiplo foram - morar até 500m da costa e a 501-1000m (áreas mistas- residencial e comercial) e, ter agência bancária até 10 minutos de casa; nas AFL - morar até 10 minutos da orla marítima. 3: os atributos do ambiente urbano associados à menor chance de NARAF dentro do modelo múltiplo, foram - nas AFD em homens - morar até 500m da costa e a 501-1000m (áreas mistas- residencial e comercial); nas mulheres, nas AFD, nenhum atributo do ambiente foi associado no modelo múltiplo; nas AFL, em homens, os atributos associados a menos chance de NARAF foram - morar até 10 minutos da orla marítima, morar há menos de 21 anos no local, ter local para caminhar e academia a até 10 minutos de casa; nas mulheres, nas AFL, os atributos foram: parentes convidarem para caminhar/fazer atividade física e ter praça a até 10 minutos de casa. Conclusão: Os atributos do ambiente que foram associados à NARAF, devem ser considerados na implementação de políticas públicas que incentivem o transporte ativo e incorporem a atividade física e o exercício físico no tempo de lazer da população.

Endereço: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/93873

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.