Associação Entre Qualidade de Vida, Bem-estar Subjetivo e Adesão Ao Tratamento de Pessoas Vivendo com Hiv/aids

Por: André Luiz de Carvalho Braule Pinto, Arlene dos Santos Pinto, Gabriela Fernandes de De Oliveira, Luciana Chaves Cavalcante e Rockson Costa Pessoa.

Revista Brasileira de Qualidade de Vida - v.11 - n.4 - 2019

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVO: Investigar a associação entre qualidade de vida (QV), bem-estar subjetivo (BES), adesão ao tratamento e a influência destas variáveis sobre a pessoa vivendo com HIV/AIDS (PVHAs).

MÉTODOS: Estudo exploratório e descritivo em um hospital de referência no tratamento de PVHAs, em Manaus/AM. A coleta de dados ocorreu no período de outubro de 2018 a janeiro de 2019, onde foram investigados 50 pacientes, de 20 a 50 anos, de ambos os sexos. Os participantes responderam ao questionário sociodemográfico, em seguida aos instrumentos de qualidade de vida da Organização Mundial da saúde (WHOQOL-HIV-Bref), pelo emprego do Cuestionario para la Evaluación de la Adhesión al Tratamiento Antiretroviral (CEAT-VIH) e a Escala de Bem-Estar Subjetivo (EBES). Foram feitas análises de correlação de Pearson e regressão linear utilizando como critério p<0.05.

RESULTADOS: Os resultados indicaram correlações fracas à moderadas entre bem-estar subjetivo e vários domínios da qualidade de vida. Além disso, a análise de regressão linear, indicou que a qualidade de vida relacionada ao domínio físico é um bom preditor para adesão ao tratamento.

CONCLUSÕES: Há relação entre bem-estar subjetivo e qualidade de vida. O BES pode contribuir na adesão ao tratamento e, tal entrelaçamento, repercute na vida de PVHAs.

Endereço: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/10685

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.