Associação Entre Shuttle Run com Bola e Sua Relação com o Desempenho do Passe no Futebol

Por: Ana Paula da Silva, , , , e .

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.14 - n.3 - 2006

Send to Kindle


Resumo

Os objetivos do estudo foram: verificar a associação entre os testes de agilidade “Shuttle Run” (SR) e “Shuttle Run” com bola (SRB) em jogadores de futebol em diferentes categorias, posição de jogo e estágios maturacionais; e determinar a associação entre o SRB e o desempenho do passe em partida oficial. Metodologia: 96 meninos, entre 10 e 17 anos, divididos em quatro categorias: pré-mirim, mirim, infantil e juvenil, considerando ainda a posição de jogo (laterais, zagueiros, volantes, meio-atacantes e atacantes); e estágios maturacionais: prépúbere, púbere e pós púbere. Foram analisadas as variáveis: peso, estatura, maturação sexual, agilidade (SR) e agilidadeespecífica para jogadores de futebol (SRB). Foi determinada a correlação entre a agilidade dos praticantes eo desempenho do passe na partida, mediante a avaliação de 4 jogos (2 vitórias e 2 derrotas). Resultados: Quando analisados todos os jogadores, encontramos uma correlação moderada significativa (r = 0,66) entre os testes SR e SRB. As associações encontradas em todas as posições variaram de baixa (r= 0,34) a alta (r = 0,81), evidenciando correlação alta e significativa nos zagueiros (r= 0,81), moderada significativa nos atacantes (r= 0,51), laterais (r=0,58) e volantes (r= 0,68). Correlação baixa não significativa foi encontrada somente entre os meio-atacantes (r= 0,51). Foi evidenciada alta correlação entre SR e SRB na categoria juvenil (r= 0,78) e moderada nas categorias infantil (r= 0,63), mirim (r= 0,64) e pré-mirim (r=0,64), todos os valores foram significativos. Nos estágios de maturação sexual foram evidenciadas correlações moderadas significativas entre os testes, pré-púbere (r= 0,56), púbere (r= 0,61) e pós-púbere (r= 0,63). Os resultados encontrados mostraram correlação negativa, moderada e significativa (r= -0,40) entre o teste SRB e o desempenho do passe bom com coeficiente de determinação de 16%.
Conclusão: O conjunto dessas informações permitiu concluir que o teste de SRB mede dimensões de agilidade que o teste de SR comum não alcançou, sugerindo, desta forma, que o SRB possa estar medindo uma agilidade mais específica, ou mais própria para o futebol. A associação significativa entre SRB e o desempenho do passe bom indica que o SRB pode predizer a qualidade do passe em situação real de jogo no futebol.

Endereço: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/viewFile/695/700

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.