Associação da Marcha, do Equilíbrio e da Velocidade de Andar em Idosos Institucionalizados.

Por: Diana Carolina González Beltrán, João Pedro da Silva Junior, , e .

37º Simpósio Internacional de Ciências do Esporte - SIMPOCE

Send to Kindle


Resumo

Introdução: a marcha é uma atividade automática, inconsciente e complexa que permite indicar a capacidade funcional que relacionada com o equilíbrio estático e dinâmico. Evidencias apontam que a prevalência de quedas dos idosos é decorrente ao processo que e afetado com o envelhecimento e sendo um indicador para a saúde em relação com a mortalidade Objetivo: associar o padrão da marcha com o equilíbrio dinâmico e estático e a velocidade de andar em moradores de Instituições de Longa Permanência para idosos (ILPIs) em São Caetano do Sul (SCS). Método: fizeram parte deste estudo 17 homens e 52 mulheres com media de idade 76,0 ± 9,4 de anos do Projeto de Implementação de Atividade Física para Idosos de ILPS que conseguiam ficar em pé, entender o comando verbal e sem diagnostico médico de Doença de Parkinson. As variáveis antropométricas da aptidão física avaliadas foram peso, estatura e calculado o IMC. A capacidade funcional foi mensurada através dos testes de marcha estacionária de 2 min., velocidade normal e máxima de andar e cadência do passo (Matsudo S, 2010). O equilíbrio foi mensurado pelo teste de equilíbrio estático unipodal em 30 segundos e o teste “Up & Go” para o equilíbrio dinâmico. A avaliação da marcha foi feita pelo método de marcação de passarelas para mesurar as variáveis espaço-temporais e da mobilidade funcional ângulo de passo, largura do passo, comprimento do passo e da passada (Daz Resultados: ANÁLISE ESTATÍSTICA: foi calculada a correlação de Spearman para dados não paramétricos e adotado o nívelde significância de p<0,05 RESULTADOS: a associação entre o padrão de marcha na variável passada direita e esquerda com equilíbrio estático e dinâmico e velocidade de andar foi positiva, de moderada a alta e significante. Dados semelhantes foram encontrados com o comprimento do passo e a cadência. Essas associações se mostraram baixas e não significantes com o ângulo da passada
TABELA
Conclusão: A associação entre o padrão de marcha e equilíbrio em Idosos de Instituições de Longa Permanência (ILPIS) foi moderada e significativa. Podendo verificar uma relação do padrão de marcha e equilíbrio que implicaria diretamente na minimização nas quedas de idosos.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.