Atitudes, Percepção de Qualidade de Vida e Condicionamento Físico com Pessoas na Terceira Idade

Por: Lupercio Luiz de Oliveira.

2005 18/11/2005

Send to Kindle


Resumo

O desenvolvimento tecnológico vem reduzindo o esforço físico nas últimas décadas, exigindo menos do organismo, levando as pessoas ao sedentarismo. Isto tem determinado um aumento na expectativa de vida, ocasionando um grande número de pessoas aposentadas que precisam ser reintegradas à comunidade. O fenômeno do envelhecimento tem sido foco de pesquisadores de várias áreas do conhecimento, buscando identificar, nas pessoas com idade acima de sessenta anos, algumas características para subsidiar programas de inclusão social, além de tratamento mais adequado às doenças características desta faixa etária, numa perspectiva psicossocial. Esta pesquisa teve como objetivo levantar, sob a perspectiva dos sujeitos atendidos, alguns elementos de avaliação de programas de condicionamento físico para pessoas que vivem na terceira idade. Neste sentido, foram construídas escalas de atitude com base no modelo bifatorial proposto por Fishbein/Ajzen, buscando identificar a força de crenças (b) sobre avaliações (e), de conteúdos relacionados à realização de programas de condicionamento físico dirigido à terceira idade. Estudos de fidedignidade com base no índice Alfa de Crombach identificaram homogeneidade nas escalas. Os resultados obtidos pela administração em 30 pessoas com idades superiores a sessenta anos, alfabetizadas e sem sintomatologia de doenças que pudessem impossibilitar a participação na pesquisa, indicaram prevalência de fortes crenças sobre conteúdos positivos relacionados as subcategorias referentes à Convívio Social, Teleologia, Maturidade/Realização/Enfrentamento, Relações Conjugais com relação a Categoria 1, viver na terceira idade. Para outras subcategorias, Animação, os dados acompanharam estes resultados, com exceção de um item, cuja dispersão dos pontos no quadrante não permitiu uma análise da conjugação entre crenças e avaliações; para Angústia, tal dispersão também prevaleceu, não havendo uma direção modal para a conjugação entre cognições e afetos relacionados a conteúdos desta subcategoria. Considerando a Categoria 2, foram encontradas fortes crenças a respeito de conteúdos positivos relacionados a Efeitos Benéficos, Recreação e Ativação, relacionado a perspectiva de participar de exercícios físicos neste momento da vida. Avaliações de medidas sobre a administração do condicionamento físico demonstraram ao longo da fase de assimilação do programa, ganhos significantes em todas avaliações realizadas, identificando mudanças de atitudes com relação a efeitos negativos relacionados com o Esforço Físico exigidos durante a realização das atividades prescritas. Considerando a perspectiva de inclusão social de pessoas na terceira idade, como um desdobramento da participação em Programas de Condicionamento Físico, os dados obtidos indicam, além da perspectiva de ganho em condicionamento físico, uma busca pela quebra da inércia, convívio social e lazer. Tais resultados permitem concluir que os programas de condicionamento físico representam um elemento importante para o enfrentamento cotidiano pelas pessoas que vivem na terceira idade, levando-as a uma postura ativa frente aos desafios da vida diária, além de incrementar o processo de socialização e recuperação da auto-estima na interação social.
 

Endereço: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59137/tde-17012006-200234/pt-br.php

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.