Atividade Física Após Hospitalização Por Doenças do Aparelho Circulatório

Por: Cicero Weber, Euler Roberto Manenti, Juvenal Costa, Marcelo Nunes, Maria Teresa Olinto, Monique Motta, Ruth Henn, Tonantzin Gonçalves e Vera Maria Paniz.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.20 - n.5 - 2015

Send to Kindle


Resumo

s objetivos do estudo foram verificar a prática de atividade física em pacientes internados por síndrome coronariana aguda e/ou doença cerebrovascular no momento da hospitalização e um ano após a alta hospitalar e investigar a associação entre a prática de atividade física um ano após a alta hospitalar com as características demográficas, socioeconômicas e comportamentais. Foi realizado um estudo de coorte com pacientes de ambos os sexos, acima de 30 anos de idade hospitalizados por Síndrome Coronariana Aguda e/ou doenças Cerebrovasculares, entre maio de 2009 a maio de 2011, no Sul do Brasil. Entre os 187 participantes, constatou-se que 9,6% dos sujeitos praticavam atividade física no momento da hospitalização e um ano após a alta hospitalar, 68,4% da amostra não praticava atividade física nos dois momentos, e apenas 3,2% tiveram uma mudança de comportamento, começando a praticar atividade física após o evento. Desta forma, apenas 12,8% foram considerados como fisicamente ativos um ano após a alta hospitalar. Após ajuste pela regressão de Poisson, verificou-se que os sujeitos com menos de 80 anos praticavam menos atividade física. Assim, observou-se que a experiência da hospitalização, a gravidade das doenças de interesse deste estudo e os benefícios potenciais da atividade física como integrante da recuperação não foram suficientes para mudança de comportamento.

Endereço: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/view/5878

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.