Atividade Física e Corpo Sensível

Por: Carlos Coelho Filho e Regina Andrade.

X Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução e objectivos: "O amor só se sustenta porque o imagi-nário entra em ação a cada passo da relação entre as pessoas" (Andrade, 2003). Contudo, considerações sobre as características psicológicas do imaginário nem sempre foram privilegiadas.Quase que restrita aos estudos da arte e da poesia, a imagina-ção, somente na segunda metade do século XIX é acolhida pelas ciências sociais como conceito de valor científico. Ainda segundo a autora e considerada "a louca da casa", a imaginação foi discutida e rechaçada já nos estudos filosóficos. Nesse sen-tido, vale lembrar dos sistemas filosóficos marcados pela razão, dos quais as obras de Hegel e de Descartes ocupam lugar privi-legiado. Demonstrando a existência de falsas consciências, chegando a afirmar que verdadeiro e ilusório são opostos de uma mesma moeda, as tendências positivistas influenciaram - e ainda influenciam - decisivamente a ciência. Os primeiros investimentos científicos que se dão no campo do imaginário, quando a criatividade é valorizada, partem de estudos que pro-vocam deformações no real mediante a produção de ilusões. No esteio da ilusão e da criatividade, portanto do imaginário, este trabalho se estrutura no horizonte da consciência corporal, do homem biológico, psicológico e social. O elemento organizador do corpo teórico, é a hipótese de que a teoria psicanalítica, através dos conceitos de seus representantes máximos, Sigmund Freud e Jacques Lacan, pode fornecer a base inicial necessária para a aproximação, compreensão e trato do corpo que carece de atividade física, ou que pratica atividade física: corpo em movimento. Material e métodos:O método utilizado foi o de análise da narra-tiva teórica. Foram privilegiados alguns textos "psicanalíticos" cujos referenciais estão voltados para o entendimento dos con-ceitos teóricos básicos necessários para o trabalho, tais como inconsciente, narcisismo e imaginário. A idéia foi de articular-mos esses conceitos ao objeto principal da pesquisa, que é o corpo. Temas do cotidiano e o discurso do corpo na publicidade nos fornecem subsídios para aproximações e aprofundamentos teóricos ao longo do texto. Principais resultados e conclusões:A tese sustentada está baseada na compreensão de que o corpo que pratica atividade física regular entra em contato com algo que proporciona um bem-estar fugidio, um estado de consciência que precisa ser cons-tantemente reencontrado, re-elaborado. O corpo em movimen-to é fruto das marcas do inconsciente que se expressam, funda-mentalmente, através do imaginário.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.